CPT - Centro de Produções Técnicas

A indústria paranaense de alimentos Stevia Soul está ampliando seus negócios com a China. Maior e principal produtora do Brasil de adoçantes naturais à base da planta Stevia rebaudiana firmou parceria comercial com a distribuidora de alimentos saudáveis Shanghai Suiyun para exportar produtos das linhas Stevita, Dolce Vita e Fit Sucralose ao Oriente. Diabéticos são os que mais se beneficiam com os edulcorantes brasileiros. A primeira remessa exportada em 2013, no valor de R$ 30 mil, foi vendida rapidamente e a empresa brasileira está otimista com o resultado e aceitação da marca. “O sucesso de vendas é um reflexo da nossa perene preocupação com a qualidade e com o caráter saudável dos nossos produtos”, afirma Paulo Nonino, diretor-presidente da Stevia Soul. A companhia paranaense produz, aproximadamente, 3500 kg/ha (quilogramas por hectare) por ano da folha de stevia. Já em 2015, se prepara para que sua produção seja totalmente orgânica. A companhia almeja uma produção média de 105 toneladas de folhas em 2016. <b>Abertura de mercado para o Brasil</b> Yinhua Wu, diretora da Shangai Suiyun, afirmou que a empresa está desenvolvendo projetos voltados para o público diabético, que devem ser apresentado ao governo chinês. “Desta forma, conseguiremos ampliar ainda mais a participação dos produtos da Stevia Soul na China”, comenta a executiva, que esteve recentemente em visita à fábrica da Stevia Soul, em Maringá (PR). Diabetes na China: Segundo pesquisadores da Universidade de Xangai, quase 12% da população chinesa é diabética – número 10 vezes maior do que há 30 anos. Por ser naturalmente doce e ter poder de adoçar até 300 vezes mais do que o açúcar de cana, adoçantes à base de stevia aparecem como as principais opções para reduzir o consumo de açúcar no mundo e, consequentemente, frear o crescimento do número de pessoas com diabetes, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Stevia em números: A popularidade da stevia tem crescido em escala global nos últimos seis anos. As vendas alcançaram 4.100 toneladas em 2013 – um acréscimo de 6,5%, em relação a 2012. O Adoçante natural movimenta um mercado de US$ 304 milhões, de acordo com a consultoria Zenith International de bebidas e alimentos do Reino Unido. Esta mesma consultoria estima um consumo de 6.250 toneladas de stevia no ano de 2016, que deve movimentar US$ 490 milhões no período. <b>Incentivos para competir</b> Produtores de stevia pretendem apresentar ao Governo Federal e a entidades ligadas ao agronegócio um projeto de desoneração fiscal do PIS/Cofins, a fim de reduzir a carga tributária de 21,25% para 12%. Hoje, esta alta taxa impede que produtores de folha, de glicosídeo de esteviol e de produtos acabados – produzidos à base da stevia – sejam capazes de disputar mercados nas Américas, Europa e Ásia. Mais sobre a Stevia Soul: Pioneira na produção de adoçante 100% natural, a companhia atua há mais de 25 anos no mercado brasileiro, sendo a primeira indústria do mundo ocidental a ter uma plantação própria para processar a folha de stevia – lançando no País o primeiro adoçante realmente saudável. Stevita, Fit Sucralose e Dolce Vita são as marcas carros-chefes da companhia. A Stevia Soul exporta uma variedade de produtos para a China, Estados Unidos, Canadá, Espanha, Itália, Peru e Uruguai. E a partir de junho deste ano pretende fornecer às indústrias brasileiras matérias-primas para a produção de alimentos, em substituição aos adoçantes artificiais, sintéticos e com sacarose.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here