CPT - Centro de Produções Técnicas

O Sindicato da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul (Sindilat) propôs nesta quarta-feira (13/01) a criação de um grupo de trabalho, formado pelos associados, produtos e centros de pesquisa, para discutir a melhoria da qualidade do leite. O encontro, que ocorreu na sede do Sindicato, em Porto Alegre, contou com a presença, entre outros, do chefe geral da Embrapa Clima Temperado, Clênio Pillon, o assessor de Política Agrícola da Fetag, Marcio Langer, e o tesoureiro da Fetag, Nestor Bonfanti, integrante da Secretaria de Agricultura, Villar Gewehr, e a coordenadora do itt Nutrifor, da Unisinos, Denize Righetto Ziegler. Uma das principais questões que serão analisadas é a identificação das causas da baixa acidez do leite. Seguindo a instrução normativa do Ministério da Agricultura, quando a acidez é baixa o produto precisa ser descartado pela empresa. “É uma perda que não podemos ter, nem a indústria e nem o produtor. Nossa margem é muito pequena. Assim, é importante compreendermos as causas do problema e como solucioná-lo”, enfatizou o presidente do Sindilat, Alexandre Guerra, aos participantes. Para o chefe geral da Embrapa Clima Temperado, Clênio Pillon, é totalmente viável a realização de pesquisa para analisar em campo quais poderiam ser as possíveis causas e, com base nessas informações, elaborar estratégias para orientar os produtores. “O Estado tem condições de promover esse importante trabalho”, pontuou. Uma das ações previstas é a elaboração de um questionário a ser validado para aplicação pela Embrapa junto com o Sindilat em propriedades dos associados.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here