CPT - Centro de Produções Técnicas

O Instituto de Laticínios Cândido Tostes (ILCT), da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), anunciou a realização da Semana do Laticinista em Juiz de Fora entre os dias 19 e 21 de julho. De acordo com a direção, o formato em 2016 será diferenciado, com eventos na sede do instituto, no Bairro Santa Terezinha, que terá a realização intercalada com a Minas Láctea. A intenção era promover este ano o grande evento voltado para o mercado laticinista, mas houve resistência de empresas e foi mantido o acordo entre participantes e organizadores para que seja bienal, com a próxima edição. "É melhor ter um formato menor do que não haver evento. Teremos circulação e intercâmbio de informações entre os participantes, que devem ser representantes de empresas, de centros de pesquisa, universidades, produtores e instituições governamentais. Optamos pela estreia da Semana do Laticinista para suprir uma lacuna e não deixar a tradição ser prejudicada", comentou o chefe-geral Cláudio Furtado Soares. Em nota enviada ao G1, o Sindicato dos Hotéis, Bares e Restaurantes lamentou a não realização do Minas Láctea e disse esperar que a Semana do Laticinista traga impacto para o município. <b>Minas Láctea</b> Considerado o maior evento do setor laticinista da América Latina, o Minas Láctea foi realizado em 2015, após não ocorrer em 2014. De acordo com o Instituto Cândido Tostes, teve a participação de 107 empresas expositoras e a presença de cerca de 10 mil pessoas visitando os estandes da Expomaq, no Expominas. A expectativa de negócios prospectados girou em torno de R$ 100 milhões, segundo avaliação das próprias empresas. No Concurso Nacional de Produtos Lácteos e Expolac participaram 60 laticínios de todo o país. A realização a cada dois anos atendeu à solicitação das próprias empresas que participam da Exposição de Máquinas, Equipamentos, Embalagens e Insumos para a Indústria Laticinista (Expomaq). Em carta, representantes das empresas-âncora manifestaram interesse em tornar o Minas Láctea um evento bienal, conforme acordo firmado em 2014 com a EPAMIG. "Havia o interesse, especialmente das indústrias de laticínios, para o Minas Láctea neste ano. Com este período de crise, seria uma forma de reunir e buscar caminhos. No entanto, as empresas expositoras alegaram que de um ano para o outro não surgem inovações que elas possam apresentar e que já visitam muitos clientes durante o ano. Além disso, há o momento de incerteza e crise atual. Estes argumentos convenceram pela realização do evento de forma bienal", explicou o chefe-geral do Cândido Tostes, Cláudio Furtado Soares. No entanto, o setor não pode ficar sem uma oportunidade de realizar intercâmbio de inovações, sejam acadêmicas ou tecnológicas. A solução encontrada foi a promoção da Semana do Laticinista, que já tem algumas ações definidas. "Estão mantidos os tradicionais Concurso Nacional de Produtos Lácteos e Exposição de Produtos Lácteos (Expolac), que são esperados pelos produtores, além de palestras e cursos", afirmou Cláudio Furtado Soares. E haverá um espaço para negócios, mas em um modelo diferente do realizado na Minas Láctea, como explicou o diretor-geral do Cândido Tostes. "Vamos realizar um table top, disponibilizando um espaço de nove metros quadrados com mesas e equipamentos para as empresas realizarem apresentações para os clientes. É uma versão moderna, mais próxima de interação entre fornecedores e consumidores, que já foi utilizada em eventos semelhantes em outros países", comentou. Em sondagens realizadas com empresas, ele afirmou que há interesse pelo novo modelo. "Não teremos a estrutura de exposição de equipamentos do Minas Láctea, porque a logística fica muito cara, ainda mais este período de crise. No entanto, ao saber do table top, algumas já anteciparam que pretendem enviar representantes. Estamos estimando ter cerca de 35 empresas participantes", disse Cláudio Furtado. Atualmente, as equipes de organização estão definindo os detalhes da programação, confirmando participantes, eventos e como serão cadastradas as empresas participantes. De acordo com o diretor do Cândido Tostes, a meta é divulgar tudo até meados de maio. <b>Expectativas</b> Em nota enviada ao G1, o Sindicato de Hotéis, Restaurantes e Bares espera que no futuro o evento volte à sua periodicidade original. "Como órgão de representação do setor de hospedagem e alimentação fora do lar de Juiz de Fora e região, o Sindicato lamenta a decisão das empresas participantes de realizarem a Minas Láctea bienalmente, entendendo que a crise econômica atinge a todos indistintamente, esperando para o futuro próximo edições anuais", diz o texto. Além disso, o Sindicato de Hotéis, Restaurantes e Bares destacou que espera que os eventos da Semana do Laticinista possam suprir em parte o impacto que a mudança acarretará para os hotéis, restaurantes e bares associados. Juiz de Fora possui 30 hotéis na categoria turismo, com cerca de quatro mil leitos e também 350 bares e restaurantes.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here