CPT - Centro de Produções Técnicas

A chuva não atinge a região do Triângulo Mineiro há quase 50 dias. As altas temperaturas causam estresse térmico nos animais e prejudica a qualidade das pastagens. Em várias propriedades, a produção de leite caiu entre 20% a 30%. Na maioria das fazendas as pastagens estão totalmente degradas e quase não há alimento para o gado. A maioria dos produtores alimenta o rebanho com a utilização de concentrados como a silagem de milho. O problema é que com valor do grão, o custo de produção chega a aumentar 50%. O produtor Dickson Rodrigues de Castro conta que a produtividade dos animais vem caindo nos últimos três meses. – Eu tirava 240 litros de leite por dia, hoje, tiro 180, com a mesma quantidade de animais. Antes minha produção por vaca era de 12 litros, agora está em nove – lamenta o produtor. <b>Momento difícil</b> Os custos do milho e do farelo de soja estão altos, muitos produtores só possuem silo armazenado para mais 20 dias. O presidente da Cooperativa Agropecuária de Uberlândia, Cenyldes Moura Vieira, diz que a entidade conta com 560 fornecedores e recebe cerca de 110 mil litros de leite por dia. Este mês houve uma queda de 20% na captação diária, o que representa cerca de 25 mil litros de leite a menos por dia. – Nós esperávamos uma queda no volume recebido este mês, porém, os números estão acima da nossa expectativa – diz. Mesmo com a queda de produção o preço do leite não deve ter alta nas próximas semanas. O valor recebido pelos produtores da cooperativa, hoje, é em média de R$ 1,17 por litro, nas próximas semanas esse valor pode ter redução de 3% a 5%.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here