CPT - Centro de Produções Técnicas

Meio milhão de reais na venda de máquinas agrícolas e animais. É o montante aproximado que espera movimentar a 6ª edição da Grande Festa Amigos do Leite, que acontece de 23 a 25 de julho, em Santa Rosa do Ermírio. Localizado no município de Poço Redondo, a 180 km da capital sergipana, o povoado tem uma área territorial equivalente à do município de Monte Alegre de Sergipe e pouco menos de 10 mil habitantes, mas carrega consigo uma grande riqueza: a maior produção da bacia leiteira de Sergipe, principal fonte de renda de 90% das famílias do local. A força dessa produção é causa e consequência da união dos criadores locais para a realização deste evento, que há cinco anos fomenta o agronegócio local. Segundo José Souza Reis, produtor e um dos organizadores da Festa, ao longo de três dias, ela reúne uma programação que abrange toda atividade correlata à pecuária leiteira. “Buscamos montar uma grade que contemple toda expectativa e necessidade dos produtores que irão participar. Esperamos uma média de 120 animais e 60 expositores, entre os grandes criadores de diversos municípios sergipanos. E este ano ampliamos o alcance da Festa, pois teremos também produtores dos estados da Bahia, Alagoas e Pernambuco”, comenta Souza Reis. De acordo com Marcos Franco, produtor e veterinário, a programação deste ano também cresceu, passando a incluir novidades. “Uma das grandes inovações em 2015 é o Leilão Genética Amigos do Leite, uma oportunidade para comprar animais selecionados, mais resistentes ao calor e com alta lactação. Se você for observar o que era a produção do leite em Sergipe e o que é agora, vai ver a grande diferença. Temos investido na tecnologia do manejo e hoje temos vacas de 40, 50 kg ao dia, provando que há melhoramento genético, que existe o aperfeiçoamento da produção do leite”, pontua o produtor. Durante o leilão, estarão disponíveis para compra 45 bezerras, novilhas e vacas de alta lactação, com pagamento em 30 parcelas, sendo duas à vista e, a cada trinta dias, mais duas parcelas – ficando 15 parcelas duplas. A edição 2015 da festa também contará com o dobro de palestras em relação às realizadas no ano passado, além de maior número de empresas de tratores e implementos – este ano serão quatro. É o que conta o produtor Odaí José Oliveira, também integrante da organização. “Teremos como incremento na programação, ainda, a Feira da Agricultura Familiar, com a exposição de produtos derivados do leite, artesanato, comidas típicas, etc. E o nosso Torneio leiteiro também foi ampliado. Se em 2014 tivemos apenas uma categoria, neste ano teremos cerca de 25 vacas e 25 novilhas, portanto, duas categorias de animais participando do torneio. Ficamos orgulhosos ao ver o quanto cresceu o nosso evento”, diz Odaí. Produção expressiva A adesão cada vez maior ao evento comprova números, segundo os quais Sergipe se destaca como um dos maiores produtores de leite do Nordeste. Um levantamento feito pelo Sebrae com base nos dados do IBGE mostra que a produção de leite na Região cresceu 20,9% no segundo trimestre de 2014 em relação ao mesmo período do ano anterior. O volume de leite atingiu a marca de 328,8 milhões de litros, ante os 271.9 milhões registrados em 2013. E em termos percentuais, Sergipe foi a unidade da federação que alcançou o maior crescimento. A produção de leite no estado avançou 45,8% entre os dois trimestres, alcançando a marca de 38,8 milhões de litros. Esses números não seriam os mesmos sem a produção do Alto Sertão sergipano. Sua grande participação nestes resultados torna a região responsável pelo abastecimento de grandes laticínios, como Sabe, Betânia e Natvile, queijarias e inúmeras fabriquetas que produzem leite de vários tipos, bebidas lácteas, iogurtes, doces de leite e manteiga. De acordo com a coordenação regional da Emdagro, dados atualizados em junho passado apontam que, diariamente, os produtores do Alto Sertão são responsáveis pela entrega de 639.300 litros de leite para estas empresas, número que representa mais da metade da sua capacidade instalada [1.124.000 l/dia]. Destes, só o povoado de Santa Rosa do Ermírio responde pela entrega de mais de 100 mil litros de leite por dia – um número expressivo para uma terra castigada pela seca, no coração do Alto Sertão sergipano. Com boas técnicas de convívio com as intempéries climáticas, muita palma, silagem e ração balanceada, os criadores locais conseguem manter uma produção contínua e, para tanto, apostam também na tecnologia do manejo, buscando o melhoramento genético dos seus animais. Não é à toa que o povoado carrega o status de “A Terra do Leite”.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here