CPT - Centro de Produções Técnicas

A Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul anunciou nesta quarta-feira (14) um programa de inspeção permanente nas indústrias com o objetivo de combater fraudes no leite, como mostra reportagem do RBS Notícias (confira no vídeo). O anúncio foi feito durante a abertura da 37ª Expoleite, a maior feira do setor no estado, em Esteio, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Grande parte dos 4 bilhões de litros de leite produzidos por ano no estado são inspecionados por agentes federais, e 100 milhões de litros são fiscalizados por inspetores do Rio Grande do Sul. Neste volume, será realizada a inspeção permanente para evitar adulterações. O controle será feito por 10 fiscais e deve entrar em vigor em julho. "Infelizmente os mecanismos de fraude estão se sofisticando cada vez mais. É necessário aumentar a presença da fiscalização, a presença do estado, do controle público, chegando a esse nível", disse o secretário estadual da agricultura, Claudio Fioreze. O alvo serão as três maiores indústrias de leite sob inspeção estadual. A fiscalização passará a ser diária, e aumentará de quatro para 40 horas por semana. "A fiscalização quanto maior, melhor. Isso dá uma segurança também para a indústria e também para o produto final e para o consumidor", destacou o empresário Vladimir Pedro dal Bosco. A medida valerá apenas para quem produz mais de 1 milhão de litros de leite por mês. Nas indústrias menores, onde há somente produção de derivados, a possibilidade de adulteração, segundo os especialistas, é praticamente nula. Produtores, que investem em genética e tecnologia, elogiaram a iniciativa. "A gente quer que todo mundo seja fiscalizado", disse o presidente da Associação dos Criadores de Gado Holandês no RS, Marcos Tang. No último dia 8, o Ministério Público Estadual deflagrou a quinta fase da Operação Leite Compensado e prendeu dois empresários, donos de indústrias, além de um funcionário de uma das empresas. As empresas têm sede em Paverama e Imigrante, no Vale do Taquari.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here