CPT - Centro de Produções Técnicas

Lucas Azevedo Do UOL, em Porto Alegre O Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) determinou nesta segunda-feira (4) o recolhimento de lotes de leite e de requeijão de uma fábrica gaúcha depois de detectar álcool em amostras de leite cru utilizados na confecção destes alimentos. Por meio da Superintendência Federal de Agricultura do Rio Grande do Sul, o Mapa solicitou que a Cooperativa Agropecuária Petrópolis LTDA Indústria de Alimentos, com sede na cidade gaúcha de Nova Petrópolis, fabricante do leite Piá, retirasse do mercado dos produtos. São ele o leite UHT integral (lotes L02/2 e L2-3) fabricado em 26 de junho e com data de validade 26 de outubro, e o Requeijão Light de 200 gramas (lote L2), fabricado em 30 de junho, válido até 30 de setembro. São ao todo 100 mil litros de leite e 30 mil lotes de requeijão. A determinação foi tomada em decorrência da presença de álcool etílico em amostras de leite cru refrigerado recolhidas no posto de refrigeração de Vila Flores, pertencente à cooperativa. O local foi interditado pelo Serviço de Inspeção Federal no dia 15 de julho. Entretanto, o posto já retornou às atividades no dia 21, após implementar ações corretivas. Segundo o Mapa, o álcool é utilizado para mascarar a adição de água no leite. O caso está sendo investigado pelo Ministério Público dentro de uma série de ações dentro da Operação Leite Compensado, que teve início em maio de 2013, desvendando um esquema de adulteração de milhões de litros de leite. Em nota, a Cooperativa Agropecuária Petrópolis informou que em análises internas e amostras dos referidos lotes enviados para análise externa "em laboratório credenciado pelo Ministério da Agricultura, não ficou constatado qualquer irregularidade". A cooperativa informa ainda que está recolhendo os lotes apontados pela Superintendência de Agricultura.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here