CPT - Centro de Produções Técnicas

O produtor que quiser adquirir gado de leite e corte através das linhas de crédito oferecidas pelas instituições financeiras precisará garantir que o animal está livre de brucelose e tuberculose. A nova regra foi oficializada pelo Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (CEDRS-RO), através da Resolução n.º 001/2015, publicada na página 98 do Diário Oficial do Estado de Rondônia (DOE-RO) de 14 de agosto de 2015. A discussão sobre o assunto foi levantada em parceria pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-RO) e pela Agência de Defesa Sanitária Agrossilvopastoril (Idaron) quando representantes das duas instituições apuraram denúncias de que profissionais não autorizados estavam emitindo laudos falsos, atestando a sanidade de animais sem verificação dos mesmos. A brucelose e a tuberculose bovinas são zoonoses que causam grande prejuízo à economia. Além de causar à queda de produtividade e levar os animais à óbito, o rebanho contaminado pode passar a doença para a população que consumir seus produtos e derivados. A princípio foram realizadas conversas isoladas com as instituições financeiras a fim de encontrar um caminho que pudesse coibir a fraude, entretanto, devido a gravidade do problema e de se colocar em risco uma das principais bases da economia do Estado, decidiu-se levar a questão para apreciação do CEDRS-RO. Em análise mais profunda, feita por uma comissão definida pelo próprio CEDR-RO, chegou-se à conclusão da necessidade de se tornar obrigatória a apresentação de atestados sanitários do rebanho envolvido nos negócios feitos através das linhas de crédito, como livre de brucelose e tuberculose. O documento deverá ainda, conter a chancela do órgão oficial, no caso a Idaron, que avaliará legitimidade dos laudos emitidos.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here