CPT - Centro de Produções Técnicas

A notícia de que as indústrias de leite do Estado estão deixando de fazer o recolhimento em propriedades com volumes muito pequenos – de até 50 litros diários – causou burburinho e trouxe preocupação para entidades de agricultores familiares e municípios. Dois motivos justificariam a decisão: os custos elevados para a coleta de quantidades tão pequenas, e a qualidade do produto, muitas vezes comprometida pela inexistência de resfriadores, que garantem a temperatura adequada. – Normalmente, esses volumes menores são produzidos em locais onde a pecuária de leite é fonte de renda complementar – explica Carlos Joel da Silva, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado (Fetag-RS). O assunto foi debatido em reunião realizada no Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Rio Grande do Sul (Sindilat-RS). Conforme o vice-presidente da entidade, Alexandre Guerra, as empresas presentes no encontro relataram que não estão deixando de recolher produto. – Vamos fazer uma relação para a Fetag do número de produtores que fornecem até 50 litros de litros por dia – acrescenta Darlan Palharini, secretário-executivo da entidade. Eventuais problemas relatados também serão repassados à Fetag, para mapear municípios onde o recolhimento de volumes menores deixe de ser feito. A partir disso, a ideia é acionar sindicatos e trabalhar na qualificação dos produtores que quiserem ampliar a produção. Um grupo de trabalho também foi criado para tratar do assunto no Instituto Gaúcho do Leite (IGL). – Os dois lados têm suas razões nessa situação – entende Ardêmio Heineck, diretor-executivo do IGL. Para o coordenador da área de agricultura da Famurs, Mário Nascimento, a preocupação é que não haja uma mudança “de uma hora para outra”: – Queremos um planejamento, com prazo para que o produtor interessado possa ajustar. Ações que garantam maior competividade fazem parte da rotina de empresas. Neste caso, só é preciso cautela para evitar a exclusão de quem pretende seguir com a produção de leite.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here