CPT - Centro de Produções Técnicas

A nove dias do fim das quotas leiteiras, os preços vão diminuir no que concerne à produção, mas o consumidor final não será afetado. O setor receia que este seja o fim de mais explorações em Portugal, informa o Jornal de Notícias. Durante 22 anos, a produção de leite na Europa era regulada por um sistema de quotas, que equilibrava a produção de cada país. No entanto, durante esse período foram perdidos 54 mil produtores, que acabaram por não afetar a produção, sendo que em termos globais Portugal é autosuficiente. Mas a partir de 1 de abril tudo irá mudar. Os produtores nacionais acreditam que isto não vai ser bom. “Portugal trabalhou sempre para o mercado interno e, dadas as condições, não conseguimos preços apetecíveis para o exterior. Por outro lado, os países do Norte da Europa, grandes produtores, e também a Polónia com potencial, quiseram sempre o fim das quotas, que sentiam como um colete de forças”, explica a Federação das Cooperações de Leite e Laticínios (Fenalac). Para o secretário-geral da Fenalac, Fernando Cardoso este poderá ser mesmo o fim de mais explorações em Portugal. Já a Associação dos Industriais de Laticínios (ANIL) acredita que, “em dois a três anos, a produção passe para o Norte da Europa e países bálticos, e os países do Sul serão tendencialmente prejudicados”. O facto de se passar a produzir mais leite, poderia significar uma diminuição de preços para o consumidor final, mas isso não irá acontecer. No final os produtores acreditam que ninguém na União Europeia irá ficar bem com esta medida.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here