CPT - Centro de Produções Técnicas

O treinamento de resistência estimula simultaneamente o catabolismo e o anabolismo nas fibras musculares ativas. A diferença entre esses mecanismos é chamado de balanço protéico. Quando positivo, esse balanço favorece um aumento na massa muscular (hipertrofia). O efeito do treinamento de resistência nesse balanço pode persistir por até 48h. Além disso, qualquer modificação nutricional adicional pode aumentar a acreção protéica no músculo maximizando os efeitos do treinamento de resistência através do aumento no anabolismo muscular. Em particular, tem sido bem demonstrado que o consumo de proteína após o exercício muda o balanço em favor da síntese muscular protéica. A composição dos suplementos tem papel crucial na influência sob o balanço protéico; sendo que os estudos mostram que apenas os aminoácidos essenciais podem estimular a síntese muscular protéica. Por exemplo, o leite contém duas frações protéicas, as proteínas solúveis e a caseína miscelar, sendo a primeira de rápida digestão e a segunda de lenta. A suplementação protéica também pode influenciar no retardo da fadiga muscular. De acordo com os estudos a proteína solúvel do leite proporciona melhor resultado. Os estudiosos recomendam uma ingestão de 20g de proteína de alta qualidade imediatamente após o exercício para maximizar o estímulo de síntese protéica; e muitos autores reportam que o consumo de 8-11g de aminoácidos essenciais contendo de 2-3g de leucina após o exercício pode potencializar a resposta de síntese protéica. Eles ressaltam que as necessidades protéicas são afetadas pelo estímulo de treinamento e sua duração. Referências BABULT, N. et al. Effects of soluble milk protein or casein supplementation on muscle fatigue following resistance training program: a randomized, double-blind, and placebo-controlled study, Journal of the International Society of Sports Nutrition, v.11, n.36, 2014.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here