CPT - Centro de Produções Técnicas

Produzir derivados do leite com qualidade nos padrões determinados pelo Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com foco na comercialização. Esse é o tema central da qualificação profissional ‘Fabricação Caseira de Derivados do Leite’, oferecida pelo Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso do Sul em Água Clara, até o dia 6 de agosto, e em Terenos e Rio Verde de Mato Grosso, de terça-feira (05) a 7 de agosto. A instrutora do Senar/MS, Dayse do Rego, afirmou que o produtor que pretende comercializar produtos derivados do leite precisa ter conhecimento da Instrução Normativa (IN-62), do Mapa, que trata de cuidados desde a ordenha, pasteurização e produção de derivados, como o queijo. “Levamos esse fundamento aos produtores porque garantem a qualidade do que é fabricado a partir do leite”, relata. Cerca de 15 tipos de derivados são produzidos durante a capacitação. Além dos queijos minas, mussarela e meia cura, o leite pode ser aproveitado para a fabricação de produtos como bebida láctea, iogurte, doce de leite, leite condensado, requeijão e ricota. “Ao invés de só vender para o laticínio, o produtor pode aproveitar a matéria-prima e comercializar um produto valorizado, adequado aos padrões de qualidade”, destaca Dayse, que auxilia os participantes do curso a obterem o máximo de produtividade do leite. Muitas vezes descartado, o soro do leite também pode ser aproveitado para consumo, pois contém albumina em sua composição, que contribui como suplemento alimentar, além de proteínas e sais minerais. O soro do leite também pode ser utilizado na produção de balas, bebidas lácteas e bolos.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here