CPT - Centro de Produções Técnicas

Dentro da programação da Megaleite em Uberaba, o produtor rural Alexandre Honorato tem a chance de conquistar o bicampeonato no Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal. A oitava edição da disputa ocorre na sexta-feira (3) e premia a qualidade do queijo produzido por 31 fazendeiros, sendo alguns competidores de cidades do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Campo das Vertentes. Proprietário de uma fazenda às margens da BR-262, em Araxá, Alexandre se dedica à produção de laticínios há mais de 30 anos. Desde 2006, ele profissionalizou a produção com o cadastrado no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). No currículo, ele conquistou sete títulos no regional do Triângulo Mineiro e, em 2009, venceu a etapa estadual do concurso. Os resultados, segundo ele, são frutos do zelo que compreende desde os cuidados e seleção genética de bovinos até à chegada do produto à mesa do consumidor. “Sempre que me perguntam, eu afirmo que o segredo é ter muita higiene, muito controle de qualidade e exigência com a parte do leite, pois é impossível melhorar um leite ruim. Estou com 60 bovinos destinados à produção leiteira. Me preocupo há muitos anos com genética animal para ter vacas com teor sólidos do leite excelentes para produzir queijo. Tenho vacas de alta produção e todas se alimentam de dieta balanceada composta por farelo de soja e milho e cilagem de milho”, destacou. Alexandre é o único produtor individual de Minas Gerais cadastrado no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi), o que permite a venda em todo território nacional. A tradição do queijo Minas artesanal é também uma herança familiar. Para manter a lucratividade e qualidade do negócio, ele emprega seis funcionários, além de ter ajuda familiar, para uma produção diária de 100 kg de queijo. “Eu brinco que ouvia falar de queijo na barriga da minha mãe, pois meu avô teve o primeiro entreposto cadastrado no SIF em 1956. Eu venho a vida inteira vivendo em meio à produção de queijo. Na compra e venda é muito complicado ter um produto de qualidade, então optei por produzir o próprio queijo para comercializar e vem dando certo. Vendo para Minas Gerais, São Paulo, Curitiba, Brasília, Rio de Janeiro e Goiás”, acrescentou. <b>Visibilidade mineira</b> Uberaba recebe pela primeira vez o concurso, viabilizado com suporte da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). O gerente regional da instituição, Gustavo Laterza, salienta que o evento é importante para enfatizar os cuidados e qualidade da produção mineira. “O que queremos é dar visibilidade, demonstrar a importância socioeconômica que esse produto tem para nós mineiros. A importância é também na geração de emprego, renda e agregação de valor ao produto através das fabricação e tradição histórica e cultural para nós mineiros. É importante demonstrar a qualidade do leite cru através de gados sadios, exigências sanitárias atendidas, vacinações em dia, curral e sala de ordenha em boas condições de higiene”, disse.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here