CPT - Centro de Produções Técnicas

Produtores de leite do município de Nova Veneza, no Sul catarinense, reclamam da desvalorização do produto devido à suspeita de adulteração no líquido no Oeste do estado. Segundo reportagem da RBS TV, o litro de leite in natura era vendido pelos produtores a R$ 1,10 antes das investigações. Agora, eles não conseguem negociar por mais de R$ 0,90. Em uma das propriedades, as vacas produzem cerca de 250 litros de leite por dia. Apesar da produção se manter regular, com a indústria recolhendo o líquido três vezes por semana, os produtores estão preocupados. "Como é uma época em que a produção de leite também aumenta e o consumo baixou devido ao que aconteceu, acabou sobrando leite no mercado", disse o produtor José Carlos Semprebom. "As indústrias pressionam os preços, que acabam diminuindo para o produtor", acrescentou ele. Os produtores também estão preocupados em melhorar a qualidade do leite produzido na região, por isso investem em pastagens e novas técnicas de produção. Além disso, eles querem que haja mais fiscalização nas indústrias. Isso garantiria que as medidas de segurança fossem adotadas por todo o processo de produção. "Se o produtor faz a parte dele e sai da propriedade um leite de qualidade, que chegue nas prateleiras o mesmo produto", declarou José Carlos. Conforme a reportagem, Nova Veneza é a maior produtora de leite da região de Criciúma. De lá, saem 400 mil litros por mês. No município, os produtores chegaram a se unir em uma associação. Com o apoio da Epagri, eles buscam mais força para negociar o preço do leite e também conseguir recursos para investimento em pesquisas para melhorar a qualidade. "O Sul do estado ainda tem algumas coisas a melhorar, como o manejo, o melhoramento de pastagens, a questão da genética. Tem bastante trabalho a ser feito, mas eu acho que as coisas estão bem encaminhadas. Agora, com as cooperativas e com as associações só tende a melhorar", declarou Bianca Coelho, técnica da Epagri.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here