CPT - Centro de Produções Técnicas

A produção de leite em Mato Grosso deve cair aproximadamente 30% neste período de entressafra da pecuária leiteira. Levantamentos realizados mostram que em julho a queda já chegou a 17,3 mil litros por dia e que o resultado tido em agosto não deverá ser diferente, assim como será em setembro. A redução é decorrente a qualidade e quantidade de pasto. Segundo o setor, poderá haver queda de até 15% no preço pago ao produtor, contudo para o consumidor é impreciso dizer o quanto pode subir ou se irá permanecer estável. O litro do leite captado em julho, porém pago em agosto, ao produtor foi de uma média de R$ 0,849, alta de 0,95% ante o valor pago pelo leite captado em junho e 6,6% superior aos R$ 0,709 o litro pagos o ano passado, revela o Boletim Mensal do Leite, divulgado na segunda-feira (08) pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). De acordo com o presidente da Associação dos Produtores de Leite de Mato Grosso (Aproleite), Alessandro Casado, o comportamento da cadeia leiteira em Mato Grosso vive novamente um ano "estranho", assim como 2013. "A safra foi de preços altos, enquanto a entressafra será de preços baixos. Diante disso, fica difícil conseguirmos realizar algum tipo e investimento". Segundo o Imea, para o produtor que usa a prática de suplementação o momento é positivo. "O déficit na nutrição pode ser corrigido com a utilização da suplementação. Para o produtor que utiliza esta prática de manejo o período é positivo em decorrência da diminuição nos preços do milho e farelo de soja, que são a base suplementar como fontes de proteína e energia. Sendo assim, o cenário mostra-se positivo com o custo da suplementação em queda”.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here