CPT - Centro de Produções Técnicas

A produção de leite de cabra e ovelhas em Minas Gerais vem aumentando significativamente ao longo dos últimos anos. De acordo com a Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos de Minas Gerais (Caprileite/Accomig), somente em 2014 a produção deve ficar 25% superior à registrada em 2013. O incremento só foi possível com a regularização dos criadores, incentivada pela Lei Leite Legal, aprovada em 2012. O objetivo agora é criar unidades regionais que integrem produtores, indústria e mercado consumidor. De acordo com a presidente da Caprileite/Accomig, Aurora Maria Guimarães Gouveia, a aprovação da lei foi o primeiro passo para a organização da cadeia produtiva. Várias ações estão em desenvolvimento para incentivar o aumento da produção e uma das principais é a criação das unidades regionais. A primeira unidade a ser criada foi o núcleo Norte/Nordeste, com sede em Teófilo Otoni, nos vales do Jequitinhonha e Mucuri, onde será instituída a Rota do Cordeiro, em parceria com o Ministério da Integração Nacional. O projeto pretende estimular tanto a produção de leite como a de carne. Segundo ela, com a presença da indústria e a possibilidade de processamento dos alimentos, o retorno financeiro será maior para os investidores. Os interessados em participar precisam se cadastrar no núcleo regional e nas prefeituras que estão trabalhando em conjunto para o estabelecimento da Rota. "Nosso objetivo é estimular a criação de núcleos somente em áreas onde a cadeia possa ser estruturada. Para que os produtores invistam, é necessário que exista na região um indústria processadora, seja da carne ou do leite, e um mercado consumidor potencial", define. O núcleo Norte/Nordeste, que está em fase de estruturação, será composto inicialmente por 15 municípios da região. O projeto, segundo Aurora, irá desenvolver o produtor, a indústria e a comercialização. A escolha do local se deu pela presença do Frigorífico Dois Irmãos, localizado em Poté, que irá abater os animais. "O envolvimento em conjunto é fundamental para que a indústria tenha garantia de abastecimento, o produtor tenha um animal de qualidade e onde comercializar e exista mercado para o consumo da carne, leite e derivados. A associação irá capacitar e orientar os produtores para que se tenha produtos de melhor qualidade. Nossa expectativa é que a produção seja fornecida para restaurantes, merenda escolar e supermercados." Expansão – O objetivo dos representantes da Caprileite/Accomig é criar, ao longo dos próximos anos, vários núcleos no Estado. Fatores como a demanda aquecida, a qualidade superior dos produtos e os preços valorizados irão contribuir para a expansão da atividade em Minas Gerais. Após a aprovação da Lei Leite Legal, a produção mineira vem crescendo cerca de 25% ao ano, devido à maior regulamentação das indústrias e dos produtores. Em 2014, o índice deve ser mantido, superando a produção de leite em 2013, que ficou próxima de 45 mil litros. Em Minas Gerais, são cerca de 620 produtores cadastrados na Caprileite/Accomig e mais de 2 mil no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). O rebanho mineiro é composto por cerca de 120 mil caprinos e 600 mil ovinos, voltados tanto para a produção de carne quanto de leite. Os produtos oriundos da atividade são bem valorizados no mercado. O litro de leite é negociado em torno de R$ 1,80 e o quilo do queijo varia entre R$ 40 e R$ 400, dependendo da qualidade e do mercado atendido.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here