CPT - Centro de Produções Técnicas

A produção de leite pela Argentina deve atingir 11,39 milhões de toneladas em 2015, leve alta em relação ao nível alcançado em 2014 (11,17 milhões/t), segundo o serviço estrangeiro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). A projeção é menor do que as estimativas iniciais por causa das condições meteorológicas desfavoráveis nas principais áreas produtoras. Houve excesso de chuvas entre janeiro e março em Santa Fe e Córdoba e ondas de calor na província de Buenos Aires, durante esse mesmo período. No entanto, em virtude do clima favorável em abril e maio, os índices apresentaram sinais de recuperação. A estimativa é que a qualidade das pastagens se mantenha muito boa. A previsão para o próximo ano é que a produção avance para 11,62 milhões de toneladas. O serviço estrangeiro do USDA estima que a produção de leite em pó do país atinja 268 mil toneladas em 2015, alta de 1%, em relação a 2014 (266 mil toneladas), apesar dos enfraquecidos preços globais. Os embarques totais do setor de laticínios devem alcançar 247 mil toneladas em 2015, das quais 162 mil toneladas de leite em pó e 22 mil toneladas de leite desnatado. Os principais mercados para a Argentina continuam sendo Brasil (20%), Venezuela (19%), Argélia (14%), China (10%) e Rússia (9%). A projeção do USDA é que as exportações não avancem muito em 2015 e permaneçam em linha com o ano anterior, por causa da queda das compras pela China e pela Rússia. Além disso, outros importadores registram forte impacto da desvalorização de moedas locais, como Brasil.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here