CPT - Centro de Produções Técnicas

O resultado da relação entre o volume da produção e a cotação média do produto – Valor Bruto da Produção (VBP) – da agropecuária mineira subiu 0,9% (R$ 44,7 bilhões), em 2014, em comparação com o resultado de 2013 (R$ 44,3 bilhões). A análise foi feita pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), a partir dos dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O VBP do setor agropecuário em Minas Gerais, inclusive, correspondeu a 9,6 % do valor gerado no país, que foi de R$ 463,9 bilhões. De acordo com o superintendente de Política e Economia Agrícola da Seapa, João Ricardo Albanez, este valor poderia ter sido superior se não tivessem ocorrido as reduções na produção das principais culturas como milho, soja, café e cana-de-açúcar. “A seca que atingiu o estado prejudicou a produção dessas culturas, que têm um peso expressivo sobre o cálculo do VBP agrícola”, explica. No entanto, algumas culturas registraram contribuições positivas: trigo (34,9%); tomate (22,5%); café (16,8%); algodão em caroço (12%); laranja (8%); e mandioca (3,6%). Na composição do VBP em 2014, a pecuária teve maior evolução em relação ao setor agrícola. De acordo com o superintendente da Seapa, enquanto o setor agrícola registrou crescimento de 0,2%, a pecuária aumentou 2,1% no ano passado. Os produtos pecuários que mais se destacaram foram: leite (12%), bovinos (2,5%) e ovos (7,8%). <b>VBP Pecuário</b> Por vários anos, o Valor Bruto da Produção era composto apenas pelo setor agrícola. Desde o ano passado, o atual secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, João Cruz Reis Filho, à época responsável pela Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, incorporou os dados do setor pecuário na composição do VBP, constituindo, dessa forma, o VBP agropecuário. O novo cálculo evidencia a importância da pecuária no agronegócio mineiro e brasileiro. “Em Minas, a pecuária é responsável por 36,7% (R$ 16,40 bilhões) do VBP agropecuário. Isso é fruto da expressividade do setor, pois o estado tem a principal bacia leiteira, o segundo rebanho efetivo de bovinos, o quarto plantel de suínos, o quinto plantel de frangos e, em relação à produção de ovos, ocupamos a terceira posição”, pondera o secretário da Agricultura. Em relação ao VBP da pecuária em 2015, a perspectiva tende a ser favorável em função da melhoria dos preços de bovinos frente à escassez da oferta. “Essa redução é consequência direta do aumento do abate de matrizes bovinas nos últimos anos, aliada à forte estiagem que prejudica as pastagens nas principais regiões produtoras”, registra o secretário João Cruz. A previsão para 2015 do setor agrícola ainda é incerta, diante das interferências climáticas na definição da produtividade das cultura no estado, tendo em vista que até o momento as estimativas de produção estavam baseadas em condições climáticas favoráveis. <b>Números do VBP Agropecuário MG – 2014</b> Valor total: R$ 44,7 bilhões (+0,9%) Trigo: R$ 129 milhões (+34,9%) Café: R$ 9,61 bilhões (+16,8%) Algodão em caroço: R$ 196 milhões (+12%) Laranja: R$ 1,2 bilhões (+8%) Mandioca: R$ 270 milhões (+3,6%) Leite: R$ 7,2 bilhões (+12%) Bovinos: R$ 4,5 bilhões (+2,5%) Ovos: R$ 886 milhões (+7,8%) Milho: 2,5 bilhões (-26,2%) Soja: 3,3 bilhões (-8,8%)

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here