CPT - Centro de Produções Técnicas

O caos no transporte provocado pelos bloqueios rodoviários está matando frangos de fome e agravando o descarte de leite fresco no Paraná. A Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar) calcula um prejuízo diário de R$ 30 milhões apenas para os produtores de leite que não estão conseguindo escoar a produção – total de R$ 120 milhões desde o início dos bloqueios. Os produtores de suínos e frangos também não conseguem realizar os abates no prazo e, além do aumento na mortandade, arcam com um custo adicional de R$ 25 milhões por dia com a alimentação – outros R$ 100 milhões de prejuízo. O quadro é de desespero em propriedades como a de Carlos Vallini, de Jataizinho (Norte do Paraná), que já perdeu mais de 1 mil frangos. O avicultor conta que deveria ter enviado há três dias 64 mil aves para um frigorífico em Rolândia, a 50 quilômetros de sua propriedade, mas não consegue cumprir a tarefa. Quando o ciclo dos frangos chega ao final, as unidades produtivas ficam sem ração. Como as entregas do insumo também estão prejudicadas, falta alimento nos comedouros. Os animais bicam os recipientes e nada encontram, morrendo famintos. “Não há como trazer ração e nem como encaminhar os frangos para o abate. Mais de mil aves já morreram de fome”, disse Vallini. Em média, seu plantel precisa de 4 mil quilos de ração por dia. Os estoques da fazenda se esgotaram e o problema tende a se agravar. <b>Prejuízo à imagem</b> O presidente-executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, aponta que além do prejuízo com o descarte das aves, há risco de dano à imagem do Brasil no mercado externo. “Trabalhamos durante décadas para a construção da imagem da cadeia produtiva como sustentável, pautado pela qualidade, sanidade e preservação do bem-estar animal. Agora, circulam imagens que prejudicam gravemente este trabalho, em uma situação que não foi gerada pelo setor”, lamentou. Na pecuária leiteira, o descarte chegou à zona urbana em Pitanga, no Centro do Paraná. O Sindicato Rural organizou uma mobilização em frente à Câmara de Vereadores, reunindo produtores que despejaram galões do alimento na rua. Conforme o presidente da entidade, Luiz Carlos Zampier, estão sendo perdidos 200 mil litros de leite por dia somente no município.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here