CPT - Centro de Produções Técnicas

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) subiu 0,57% no mês passado, acima tanto de agosto (0,25%) como de setembro de 2013 (0,35%). Com isso, a taxa deste ano vai a 4,61%, também superior a igual período do ano passado (3,79%). Em 12 meses, atinge 6,75%, maior índice acumulado desde outubro de 2011 (6,97%). Segundo o IBGE, que divulgou os resultados na manhã de hoje (8), os preços dos alimentos tiveram maior influência na elevação. O grupo Alimentação e Bebidas, que tem peso de quase 25% no orçamento, subiu 0,78%, depois de três meses seguidos de queda (-0,11% em junho, -0,15% em julho e -0,15% também em agosto). Sozinho, representou um terço do índice de setembro, com impacto de 0,19 ponto percentual. Apenas o item carnes foi responsável por 0,08 ponto, ao passar de 0,43%, em agosto, para 3,17%. "O quilo ficou, em média, 3,17% mais caro, chegando a 5,06% em Campo Grande e 6,12% em Vitória. A menor variação ficou com o Rio de Janeiro, com alta de 1,00%", informou o instituto. Também subiram os preços de cebola (10,17%), cerveja em casa (3,48%), farinha de mandioca (2,52%), frutas (2,11%), leite longa vida (1,75%), frango em pedaços (1,68%), refrigerante em casa (1,24%), feijão em preto (0,92%), queijo (0,86%) e arroz (0,68%), entre outros itens. No grupo Transportes, a alta foi de 0,63%, ante 0,33% em agosto, com influência do aumento das passagens aéreas (17,85%), que representaram 0,07 ponto percentual no índice total. O IBGE também apurou alta de 1,35% em consertos de automóveis e 0,76% em automóveis novos. Já os combustíveis recuaram 0,05%, com queda de 0,07% na gasolina e 0,01% no etanol. "Estes resultados tiveram influência contrária de aumentos significativos ocorridos na região metropolitana de Salvador, onde o litro da gasolina ficou 10,98% mais caro e o etanol , 12,12%. A maioria das demais regiões mostrou queda nos preços dos combustíveis, sobressaindo Goiânia, com -7,09% na gasolina e -9,68% no etanol", diz o IBGE. Outros grupos que tiveram elevação em setembro foram Vestuário (de -0,15% para 0,57%), Comunicação (de 0,10% para 0,13%) e Despesas Pessoais (de 0,09% para 0,39%). Quatro tiveram variações menores: Habitação (de 0,94% para 0,77%), Artigos de Residência (de 0,47% para 0,34%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,41% para 0,33%) e Educação (de 0,43% para 0,18%). <b>INPC</b> O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) variou 0,49% em setembro, ante 0,18% no mês anterior. Também ficou acima de setembro de 2013 (0,27%). Agora, soma 4,62% no ano (3,61% em igual período do ano passado) e vai a 6,59% em 12 meses (6,35% nos 12 meses imediatamente anteriores).

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here