CPT - Centro de Produções Técnicas

A estiagem do início do ano causou danos às pastagens de São Paulo. Com menos alimento para as vacas, a produção de leite caiu. Para compensar, o preço pago pelo litro subiu. Aparecido Piccolo tem 50 vacas em lactação em um sítio em São José do Rio Preto, no noroeste paulista. Por dia, a produção é de 700 litros de leite. O produtor está animado, neste mês recebeu do laticínio R$ 1,07 pelo litro, enquanto no ano passado, o valor nesta mesma época era de R$ 0,88. Geralmente, nos primeiros meses do ano, o preço do leite cai por causa do aumento na produção. As vacas produzem bem mais porque nessa época, os pastos estão verdes devido às chuvas típicas de verão. Este ano, porém, a estiagem em janeiro e fevereiro fez com que a oferta do produto diminuísse, por isso, hoje o preço do litro do leite está bem mais alto do que no mesmo período de 2013. Planejamento é fundamental, especialmente em épocas de estiagem, e quando o preço dos insumos está alto. A saca de milho, que representa 50% da alimentação das vacas, até dezembro custava R$ 18, hoje é encontrada por até R$ 30. Para economizar, Marcelo resolveu ampliar a plantação de milho no sítio onde cria 25 vacas leiteiras, em Bálsamo. O produtor também tem pastagem irrigada e está vendendo o litro do leite por R$ 0,97, R$ 0,12 a mais que em fevereiro de 2013. Mesmo com todas essas mudanças por causa do clima, a expectativa do Instituto Brasileiro de Economia e Estatística (IBGE) é de que em 2014, a produção de leite no país cresça 5% e o preço, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), deve se manter nesse patamar ou até subir. Os produtores que se planejaram vão aproveitar o momento.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here