Descarte de Leite
CPT - Centro de Produções Técnicas

A Polícia Civil abriu uma investigação para apurar uma denúncia feita por um produtor rural em Jauru, a 463 km de Cuiabá, sobre um esquema de cartel de laticínios na região.

Segundo a denúncia do produtor rural Guilherme Barbosa, os produtores da região são obrigados a venderem o produto deles para fornecedores determinados pelos próprios laticínios.

“Se o produtor vende para um laticínio, ele só poderá fornecer para outro cliente caso o primeiro autorize a troca”, afirma Katia Novak advogada do produtor rural que fez a denúncia.

Por causa disso, o produtor teve que jogar fora mais de mil litros de leite e está com mais seis mil litros parados.

Depois disso, fez o boletim de ocorrência na delegacia de Jauru, no último sábado (23).

O cartel é um acordo entre empresas concorrentes para fixação de preços, divisão de clientes para eliminar a concorrência e aumentar os preços dos produtos, prejudicando o consumidor. A prática é considerada crime de acordo com a legislação.

Em junho do ano passado, o Sindicato das Indústrias de Laticínios de Mato Grosso (Sindilat), produtores rurais e laticínios assinaram um acordo que estabelecia o valor pago para o produtor e acordava o livre comércio.

Guilherme Barbosa, de 79 anos, é produtor rural há mais de 40 anos. No último mês, teve um grande prejuízo após tentar trocar o fornecimento do leite. Ele encerrou contrato com o laticínio para o qual vendia há dez anos e firmou contrato com uma nova empresa.

No entanto, após 20 dias de entrega, o laticínio suspendeu a busca do produto, afirmando que foi proibido pela indústria anterior e não podia buscar o leite

“O encarregado me informou que não poderia ir buscar o leite porque a empresa anterior havia ligado para ele e proibido. Ele disse que eu era fornecedor da antiga empresa, não da atual, mesmo após o contrato encerrado. Como o motorista disse que não queria entrar no meio dessa ‘briga’, me avisou que não poderia pegar o produto”, conta.

O produtor rural precisou jogar fora mil litros de leite no dia, que é a quantidade diária produzida por ele. Agora, ele tem mais de 6 mil litros para serem entregues, que estão parados na propriedade.

De acordo com a Polícia Civil serão colhidas as declarações das partes envolvidas. O produtor rural e os representantes dos laticínios já foram intimados a comparecer à unidade policial e serão ouvidos a partir da próxima semana.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here