CPT - Centro de Produções Técnicas

O poder de compra do produtor de leite aumentou nos primeiros seis meses de 2014, em comparação a igual período do ano passado, nos sete principais Estados produtores do país. É o que mostra levantamento do boletim Ativos da Pecuária de Leite, elaborado pela Superintendência Técnica da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Universidade de São Paulo (USP). Mesmo assim, o primeiro semestre de 2014 não foi tão bom quanto os últimos seis meses do ano passado. De toda forma, ainda possibilitou ganhos ao produtor na compra de concentrado. A melhor relação de troca para o pecuarista leiteiro, segundo o estudo do Cepea/CNA, ocorreu em Santa Catarina. Naquele Estado, na média do primeiro semestre do ano, foi necessário 0,93 litro de leite por quilo de concentrado. Já em São Paulo, o produtor necessitou de 1,28 litros de leite para comprar quantidade semelhante de concentrado. O levantamento engloba os Estados da Bahia, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Houve elevação de 5,5% – cinco centavos por litro – no preço líquido do leite pago ao produtor, sem a inclusão do custo do frete e dos impostos nos sete estados pesquisados, de acordo com o estudo Cepea/CNA. Esse bom desempenho aconteceu mesmo levando em conta a alta dos custos de produção para o pecuarista leiteiro, 2,72% referentes ao Custo Operacional Efetivo (COE). O COE indica os gastos correntes do pecuarista em sua propriedade. Já o Custo Operacional Total (COT) – composto pelo COE mais a depreciação e o pró-labore da atividade – teve alta de 2,66% no primeiro semestre deste ano.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here