CPT - Centro de Produções Técnicas

Os produtores brasileiros de leite receberam em setembro em média R$ 0,992 pelo litro da matéria-prima entregue aos laticínios em agosto, conforme levantamento da Scot Consultoria. O valor é 0,37% menor do que o pagamento anterior, num reflexo da aproximação do fim da entressafra do leite no país. "Estamos caminhando para o fim da entressafra. Houve queda de preços em importantes bacias leiteiras", observa Rafael Ribeiro, analista da Scot. Em Minas Gerais, por exemplo, o preço ao produtor recuou 1,2% entre setembro e agosto. No Rio Grande do Sul, o recuo foi de 1% na mesma comparação. Segundo Ribeiro, a queda no preço se deve ao excesso de oferta de leite. O índice de captação de leite da Scot mostra aumento de 9% na captação da matéria-prima em setembro na comparação com igual mês de 2013. Sobre agosto passado, o índice (preliminar) aumentou 1,5%. A explicação para o avanço na oferta, diz o analista, é o maior investimento na alimentação dos animais, estimulado pelos bons preços do leite ano passado e pela queda dos custos de produção por conta de milho e soja mais baratos. No varejo e no atacado, o leite longa vida também recuou. Segundo a Scot, o litro saiu de R$ 2,30 no atacado paulista em agosto para R$ 2,27 em setembro. No varejo, saiu de R$ 2,82 para R$ 2,81 por litro na mesma comparação. A expectativa para o pagamento de outubro é de manutenção nos preços de leite ao produtor, mas depois deve haver pressão de baixa, avalia Ribeiro, com a ocorrência de chuvas mais regulares e o início da safra no Centro-Sul.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here