CPT - Centro de Produções Técnicas

Um pecuarista de Ourilândia do Norte, no sudeste do Pará, em um ano dobrou a produção de leite: um rebanho de 25 matrizes de girolando, que antes rendia cerca de 80 litros e era criado extensivamente, agora alcança 170 litros. O novo desempenho foi alcançado graças ao sistema de pastejo rotacionado, pelo qual a zona de trânsito e alimentação do gado é dividido em piquetes, alternados conforme a capacidade do capim. A transformação na propriedade de José Benedito Maciel, na vicinal Calça Amarela, começou com a instalação de uma unidade de observação instalada pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), em parceria com a prefeitura. Quatro hectares de capim mombaça foram separados em 16 piquetes: a presença dos animais, então, passou a ser revezada entre os espaços, em média com dois dias em cada um, garantindo nutrição suficiente e preservação da pastagem, porque o procedimento poupa do esgotamento e ainda permite o tratamento com uréia durante o descanso da área. “Outra vantagem imensa que percebemos foi sanitária: ficamos perto de eliminar pragas como carrapato e berne. A boa saúde do capim é também a boa saúde do gado”, diz o chefe do escritório local da Emater em Ourilândia, o engenheiro agrônomo Flávio Elói. Um Dia de Campo demonstrando os resultados da experiência deve ser realizado até o fim do ano, a fim de despertar o interesse de outros produtores do município e de ser comprovar o potencial lucrativo para bancos liberadores de crédito rural.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here