CPT - Centro de Produções Técnicas

As recomendações para ingestão de cálcio variam de 800 a 1.300mg/dia. Estima-se que o percentual de absorção do cálcio é em torno de 40%. Há inúmeras pesquisas científicas mostrando o aumento da incidência de osteoporose em todo o mundo. A osteoporose está relacionada com os hábitos alimentares ao longo da vida do indivíduo. Há diversos fatores envolvidos no aparecimento da osteoporose além do consumo alimentar de cálcio: fatores genéticos e ambientais, hábitos de vida, prática de atividade física, consumo de nutrientes que prejudicam a absorção de cálcio e de alimentos com cálcio de baixa biodisponibilidade, ou seja, de baixa absorção pelo organismo, além da idade, das condições fisiológicas e de fatores hormonais. Estudo científico (Martini, 2002) demonstrou que o cálcio presente no repolho é mais bem absorvido do que o cálcio do leite. Sabe-se que o consumo exagerado de carnes vermelhas, leite e derivados pode aumentar o risco de osteoporose, já que esses alimentos produzem altas cargas renais ácidas, gerando estado de acidose metabólica e aumentando a excreção renal de cálcio. Dessa forma, é necessário que o hábito alimentar seja saudável incluindo boa quantidade de frutas, legumes, oleaginosas, leguminosas, gordura boa como a das castanhas, óleo de coco e peixe, alimentos integrais, pouco sal, açúcar e gordura animal. Evitar consumo de alimentos industrializados, refrigerantes, bebida alcoólica etc. Fazer uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos com orientação profissional, além de contribuir para a saúde dos ossos, ajudam a prevenir outras doenças como as cardiovasculares, diabetes, hipertensão arterial, doenças inflamatórias etc. Concluindo: o cálcio presente no leite por si só não evita a osteoporose.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here