CPT - Centro de Produções Técnicas

Inspirada pelos legítimos sorvetes italianos, a Nestlé lança a linha Gelato no Brasil. Com esse produto, a empresa entra no mercado de sorvetes super premium, já pensando em dominar o setor. Segundo Rogério Lopes, vice-presidente de sorvetes, a marca busca alcançar as classes A e B. A linha Gelato foi desenvolvida no Brasil e o pote de 455mL sairá por R$ 23,90 em pontos de venda selecionados, inicialmente apenas em São Paulo e no Rio de Janeiro. Com os sabores caramelo salato, cioccolato nero, limoncello e vaniglia, a companhia segue a onda gourmet que já atingiu outros mercados. Em entrevista à EXAME.com, Lopes falou sobre as estratégias e os detalhes do produto premium. EXAME.com – Por que decidiram investir em sorvetes premium? Qual o objetivo da Nestlé? Rogério Lopes – Da mesma forma que, alguns anos atrás, a Nespresso conseguiu reproduz o expresso, que só era tirado por um barista em bom restaurante, também foi nossa ambição nossa reproduzir a textura de um gelato em casa. Outro ponto é o nosso posicionamento. As classes A e B consomem 18% mais sorvete que a média da categoria. Além disso, o segmento super premium cresceu 17% no ano passado. Em terceiro lugar, está a questão de sofisticação do consumidor brasileiro. Isso aconteceu em outros mercados, o consumidor está mais exigente. EXAME.com – Como foi o desenvolvimento do produto? Rogério Lopes – Para o lançamento da linha no Brasil, levamos dois anos. Fomos apoiados pelas pesquisas feitas nos nossos centros na Suíça, França e Estados Unidos. Investimos mais de 10 milhões de reais e trouxemos a tecnologia desses países. EXAME.com – Esse produto compete com outros da Nestlé? Rogério Lopes – Não há nenhum produto que seja similar. O gelato vem ocupar um espaço muito diferenciado, diferente de sorvete. Por causa do processo de produção específico, os cristais de sorvete também são menores, o que garante uma textura inconfundível. Ele tem uma cremosidade e untuosidade maior. Você precisa abrir e esperar 10 minutos para que o produto possa reconstituir sua forma e cremosidade. O formato é de 455ml, um pote diferente para um momento de consumo também diferente. A linha regular, e 1,5L, é mais compartilhada, consumida em família. O gelato de 455mL é para um consumo muito mais personalizado. Cada um pode escolher o seu sabor. EXAME.com – A Nestlé vai entrar em um mercado, que já sofre concorrência das diversas gelaterias abertas nos últimos anos. Como irá lidar com os concorrentes? Rogério Lopes – Não vemos as gelaterias como concorrência. Hoje, para tomar um bom gelato, você precisa estar perto de boas gelaterias. Além disso, o consumo só pode ser feito no local. Outra opção para tomar um gelato é pegar avião e ir para a Itália. Com a nova linha, oferecemos a possibilidade de comprar, trazer o produto para casa, para aquele jantar especial ou um filme. EXAME.com – Os pontos de venda serão os mesmos das linhas tradicionais de sorvetes? Rogério Lopes – Não, vamos vender em locais selecionados. Até a geladeira será diferenciada, toda preta, com adornos que lembram a arte italiana e uma sofisticação bem característica do produto super premium. Até a distribuição será separada, feita por um caminhão específico, bem menor e bem mais ágil. Teremos também atendimento e vendedores diferenciados para a linha. EXAME.com – E os ingredientes, também serão diferentes? Rogério Lopes – Sim, as proporções, tecnologia e ingredientes são distintos. Optamos por usar creme de leite fresco. Ele tem uma complexidade de abastecimento bastante alta, mas é diferencial. Também buscamos ingredientes muito autênticos, na busca por sabores específicos. Como, por exemplo, no caramello salato. É uma fina combinação do dulçor do caramelo e sal marinho. Também usamos favas de baunilha de Madagascar, suco de limão siciliano e outros ingredientes diferenciados. EXAME.com – Por fim, qual será o preço? Rogério Lopes – Na loja, será R$ 23,90 por 455 ml.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here