CPT - Centro de Produções Técnicas

O litro do leite UHT integral (caixinha) em setembro custava em média R$ 3,11 nas gôndolas dos supermercados de Cuiabá. O valor na época não é diferente do verificado hoje que está entre R$ 2,59 e R$ 3,49, dependendo da marca e local de envasamento. A alta de preço em um dos alimentos considerados essenciais chega a 39,5% em alguns de seus derivados na Capital mato-grossense no comparativo com 2013. Apesar da captação de leite em setembro ter aumentado 12,07% em relação a agosto, os preços pagos aos produtores ficou na média de R$ 0,83 o litro, o mesmo verificado em 2013 no mês, de acordo com o Boletim Mensal do Leite, divulgado nesta segunda-feira, 10 de novembro, pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). "Esta leve desvalorização no preço do leite pago ao produtor foi também registrada nos principais estados produtores e está atrelada à dificuldade que o mercado de lácteos está atravessando, onde a demanda por leite não está acompanhando a oferta. Existe uma sensação de queda no consumo dos derivados do leite, ocasionada provavelmente pela redução do poder de compra dos consumidores". Segundo o Boletim Mensal do Leite, divulgado pelo Imea, em setembro o litro do leite UHT integral (caixinha) em Cuiabá estava em média R$ 3,11, valor este 2,30% a mais que os R$ 3,04 de agosto e 4,60% menor que os R$ 3,26 de setembro do ano passado. Já o leite UHT desnatado (caixinha) era visto em média a R$ 2,89, uma alta de 3,58% ante os R$ 2,79 de agosto e 11,35% menor que os R$ 3,26 em 2013. O leite em pós integral (400g) estava em média a R$ 11,42, dentro do verificado em novembro que varia de R$ 8,98 a R$ 11,90. Ao se comparar o preço de setembro com agosto há uma leve queda de 0,44%, porém ante 2013 alta de 12,40% frente os R$ 10,16 na época. O leite pasteurizado (saquinho de 1 litro) estava em média R$ 1,85. Hoje, encontra-se na casa dos R$ 2,15. <b>Derivados</b> Apesar da variação de preço no leite, seja UHT integral ou em pó integral, ser pequena, ao se comparar os preços dos derivados como queijo e bebida láctea a variação mensal (setembro-agosto) e em relação a 2013 chegam a ultrapassar a barreira dos 30%. O queijo provolone, por exemplo, em setembro custava R$ 43,80 o quilo, alta de 56,48% em comparação aos R$ 27,99 de agosto e 37,56% aos R$ 31,84 de setembro do ano passado. já o queijo frescal saia a R$ 25,95 o quilo em setembro, enquanto em agosto R$ 22,47 e setembro do ano passado R$ 18,59. A bebida láctea (saco de 1 litro) em setembro custava em média R$ 2,73 nos supermercados teve alta de 48,37% ante os R$ 1,84 de agosto, porém queda de 2,15% em relação aos R$ 2,79 de setembro de 2013.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here