CPT - Centro de Produções Técnicas

O homem que se apresenta como "rei da cenoura" no Brasil faz sucesso também na produção de leite. Makoto Sekita começou a investir em gado bovino leiteiro em 2008. Além de ganhar com o leite, o empresário afirma que, com o esterco dos animais, reduz seus gastos com adubo para as plantações e ainda consegue gerar parte da energia elétrica de sua "packing house" com biogás. Sekita tem um plantel hoje de 1.050 animais em lactação, de um total de 2.720 vacas holandesas. Todos os animais são criados em regime de confinamento. A produtividade diária está em 34 litros por animal, afirma ele. É uma marca que se aproxima de uma produção que é referência no país, em Araras (SP), onde cada animal alcança os 40 litros. A média nacional fica bem perto de 4,08 litros por vaca/dia, segundo o último dado do IBGE de 2013. Na sala erguida de onde se vê a estrutura de ordenha mecânica, Makoto Sekita exibe a evolução de sua produção. No ranking dos 100 maiores produtores de leite do país da consultoria Milkpoint, especializada em leite, o grupo Sekita aparecia em 55 º lugar no levantamento de 2011, referente ao ano anterior. Em 2012 subiu para 24º; em 2013, para 12º e em 2014, para 10º. Na lista deste ano, que se refere à produção de 2014, Sekita espera chegar à sétima posição. Quem está conduzindo o negócio da pecuária é a filha do empresário, Ana Paula, e o marido, Leonardo. O grupo Sekita, onde a família do mesmo nome detém 80% do capital – 20% pertencem a outros sócios -, tem atualmente 750 funcionários. O Alto Paranaíba, além de ter se constituído num polo produtor de hortaliças, é também uma importante bacia leiteira do país. Na região, estão unidades processadoras de leite da Nestlé, Itambé, Cemil e Tirolez. O prefeito de São Gotardo diz que outra indústria planeja se instalar ali. O grupo Sekita vende sua produção para a Itambé.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here