CPT - Centro de Produções Técnicas

A maior disponibilidade de leite no mercado devido à boa disponibilidade de forragem principalmente nas regiões oeste, centro-sul e sudeste foi seguido por leve queda de 1,76% na média do preço do litro pago aos pecuaristas, passando de R$ 0,86 em agosto para R$ 0,83 em setembro. Segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), esta leve desvalorização no preço do leite pago ao produtor foi também registrada nos principais estados produtores e está atrelada à dificuldade que o mercado de lácteos está atravessando, onde a demanda por leite não está acompanhando a oferta. A captação de leite aumentou 139.653 litros por dia em Mato Grosso no mês de setembro, chegando a 1,3 milhões de litros diários, crescimento de 12,07%, de acordo com dados do Instituto. “Existe uma sensação de queda no consumo dos derivados do leite, ocasionada possivelmente pela redução do poder de compra dos consumidores”, informa o boletim mensal do leite do Imea. <b>Lácteos</b> Enquanto a manteiga na indústria aumentou 17,3% e foi vendida a R$ 13,90/kg em setembro de 2014, o queijo tipo muçarela teve queda de 2,57%. Na indústria, seu preço variou durante o citado mês de R$ 10,80 a R$ 14,90/kg, registrando preço médio de R$ 12,49/kg. No varejo este mesmo produto chegou a custar até R$ 37,65/kg, com preço médio de R$ 30,09/kg. Houve uma valorização de 7% em relação ao mês de agosto/2014 e, quando comparado a setembro/2013, a valorização foi de 4%. O consumo de derivados de leite pode continuar baixo nos próximos meses, de acordo com o Instituto. “Diante do cenário atual, pode-se esperar que esta pressão nos preços se mantenha, assim a indústria e os produtores serão os mais impactados, por outro lado, o varejo enfrenta a redução nas vendas, com possível acúmulo de estoques”, prevê o Imea.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here