CPT - Centro de Produções Técnicas

Um leite especial, que é distribuído na rede pública para crianças abaixo do peso, está sendo vendido ilegalmente no interior de São Paulo. O pior é que são as próprias mães que estão oferecendo as latas pela internet. A venda clandestina é feita pela internet. Nas redes sociais, as mães oferecem o leite especial pela metade do preço. Por telefone, a mulher explica que vende as latas porque o filho não precisa mais do leite especial. "Como ele já está melhor, ele está com sete meses agora, a médica mandou parar. E, como eu tenho receita durante um ano, eu falei ‘não vou perder’”, diz a mulher pelo telefone. Uma outra mãe também diz ter um estoque para vender. Mulher: Hoje eu peguei mais… Bom Dia Brasil: Quantas latas você tem? Mulher: Eu tenho 15. Uma dona de casa tem uma filha de 11 meses. Segundo a prefeitura, no último dia 30 de setembro, ela levou 12 latas de leite para alimentar a criança. Mas por R$ 220, vendeu quase todas as latas que recebeu. A mulher foi detida e levada para a delegacia. Só em Bauru, mais de 1,7 mil crianças, que nasceram ou estão abaixo do peso, deveriam ser beneficiadas pelo programa de distribuição de leite da prefeitura. Por mês, quase 23 mil latas de leite especial são distribuídas de graça para as famílias. "As pessoas que tenham essas latas de leite em depósito em suas residências façam a restituição para a municipalidade, pois, caso contrário, poderão ser autuadas em flagrante pelo crime de apropriação indébita. E quem adquirir esse produto de terceiros, sabendo que a origem é ilícita, também pode ser preso pelo crime de receptação”, disse Kleber Granja, delegado. A mulher que foi detida vai responder ao processo em liberdade. A prefeitura disse que agora vai reavaliar o programa de distribuição de leite para evitar esse tipo de fraude.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here