CPT - Centro de Produções Técnicas

A retração do consumo em decorrência da crise econômica está obrigando os laticínios de Mato Grosso do Sul segurar o preço do litro de leite em plena entressafra, quando o produto começa a faltar e, historicamente, faz com que os valores sejam reajustados. De acordo com o Conseleite/MS (Conselho Paritário Produtores/Indústrias de Leite de Mato Grosso do Sul), o valor do litro do leite pago pelas indústrias aos produtores está em R$ 0,8109, mas alguns empresários alegam pagar valor acima do estipulado. Segundo o diretor-presidente dos Laticínios Imbaúba, Edgar Rodrigues Pereira, o valor cobrado pelo litro do leite chega a R$ 1,00. “Agosto é um mês crítico e de seca, mas, em decorrência da crise financeira, o preço já está bastante elevado, inviabilizando um novo reajuste no valor final. Além disso, o aumento de custo para o consumidor é proporcional ao aumento de custo para o produtor”, disse. A empresária Milene Nantes, dos Laticínios Tradicional, disse que não há sinais de aumento apesar do período de seca. “Mesmo com a diminuição da produção, também há um cenário de mercado retraído e ainda não absorvemos essa falta, porque o consumo também caiu”, declarou. Já o diretor dos Laticínios Rincão, Deolindo Carlos Marques, a expectativa é de baixa nos preços, já que as vendas também estão em ritmo fraco. “O preço pago ao produtor chega a R$ 0,90 e o produto final chega ao mercado a R$ 1,95 para o leite de saquinho”, comentou. No mercado de derivados, houve aumento crescente nos preços médios do leite durante todo o período das águas, porém, a cotação da mussarela também não acompanha esse mesmo movimento e há uma retração no preço, conforme apontou o gerente da Alvorada Laticínios, Jean Carlos Francischini. “O valor do leite por litro é de R$ 0,98. A valorização foi continua nos últimos meses e a demanda pouco aquecida”, disse.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here