CPT - Centro de Produções Técnicas

A fiscal federal de agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Josinete Barros de Freitas, realizou reunião técnica com a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Desenvolvimento e Regularização Fundiária (Seagri), tendo em vista a autorização da mudança do Laboratório de Qualidade do Leite (LQL) para as instalações definitivas. Durante a reunião no auditório da Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias (Embrapa), foram expostas alguns ajustes necessários para realização da transferência definitiva do laboratório, que funciona de forma Experimental nas instalações da Embrapa. Josinete Barros de Freitas explica que a construção do laboratório foi aprovada pelo MAPA a cerca de 5 anos, e o principal objetivo é realizar a constatação da qualidade do leite para a sociedade. “Essa instalação é muito importante para o estado e a região, pois é o único da região Norte. O trabalho que desenvolve para a sociedade e os produtores é de grande relevância. Iremos conhecer a qualidade do leite no estado, e também fará parte da rede de laboratórios de qualidade de leite brasileira”, destaca Freitas. A escolha para implementação do laboratório no estado não é por acaso. Rondônia é responsável por 61,2% da produção de leite na região norte, e o 7º maior produtor de leite inspecionado do país, segundo o IBGE. “Mas temos que saber o que nossa população esta consumindo, o laboratório será um instrumento para regular a qualidade do que se esta produzindo no estado tanto aos produtores como na industria,” enfatiza o deputado estadual Lazinho da Fetragro (PT). Para o presidente do Conselho Paritário de Produtores e Industriais de Leite do Estado de Rondônia (Conseleite), Fabio Assis de Meneses, é necessário o funcionamento do laboratório, porque o produtor não sabe o que entrega para ao laticínio, em termos de qualidade de proteína do leite. Além disso será uma ferramenta para complementar um trabalho do Conseleite, ajudando a estabelecer mecanismos para regular preço. Uma vez que o valor de referencia do conseleite considera a qualidade do leite,”disse Menezes. Os investimentos na cadeia produtiva do leite no estado, na produção e produtividade, não terão êxito se a qualidade não acompanhar os investimentos por parte da industria e dos produtores. “Precisamos buscar melhores preços para aos nossos produtores, isso será possível com o aumento do mix de produtos ofertados pelo estado. Mas é de suma importância ter matéria prima superior atestada pelo o laboratório. ” ressaltou Evandro Padovani, secretario da Seagri. “O estado construiu o prédio e o equipou, agora falta alguns detalhes levantados pela doutora Josinete para viabilizar a transferência das instalações. Que funciona de forma experimental, em unidade cedida pela Embrapa. A gestão será feita pela própria Embrapa com recurso do fundo pró leite,” salientou Julio Peres, coordenador de agricultura e pecuária da Seagri. Estiveram presentes na reunião o superintendente do Superintendente Federal do Ministério da Agricultura em Rondônia, Valter Lins Calaça, o presidente da Federação dos trabalhadores na Agricultura de Rondônia (Fetagro), Fabio Assis Menezes, O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Rondônia (Faperon), Francisco Ferreira Cabral, Juliana Alves Dias, pesquisadora responsável pelo LQL Rondônia e chefe-geral da Embrapa Rondônia, César Augusto Domingues Teixeira.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here