CPT - Centro de Produções Técnicas

A Justiça da Bahia determinou que as atividades de uma empresa de produto lácteos localizada em Jacobina, no norte da Bahia, sejam totalmente suspensas. Segundo o Ministério Público da Bahia (MP-BA), a empresa fazia utilização ilegal de lenha retirada da vegetação nativa e funcionava sem licença ambiental. De acordo com o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), a sentença foi do último domingo (10).

A determinação ocorreu após ação civil pública do MP-BA. De acordo com o órgão estadual, a empresa Mami Produtos Lácteos utilizava lenha retirada da vegetação nativa como combustível para caldeira da fábrica, sem apresentação do Documento de Origem Florestal (DOF). Além disso, exercia a atividade de indústria de laticínios, produzindo e distribuindo leite, iogurte e queijo para toda a região de Jacobina, sem licença ambiental.

G1 tentou, mas não conseguiu contato com a empresa Mami Produtos Lácteos.

Ainda de acordo com o MP-BA, a ação foi ajuizada pela promotora Andréa Scaff de Paula Mota, em 2010. Segundo o promotor Pablo Almeida, que atuou no processo a partir de 2015, o funcionamento da empresa representava, além do dano ambiental, um risco à saúde.

O juiz Rodolfo Nascimento Barros, que assinou a sentença, determinou que a empresa e o proprietário apresentem o Projeto de Recuperação da Área Degradada (PRAD), com previsão de repovoar a área com espécies de árvores nativas em número suficiente para reverter o desmatamento, no prazo de 45 dias, sob pena de multa diária de R$ 1 mil.

Além disso, os acionados foram condenados ao pagamento de multa no valor de R$ 80 mil, a ser revertida ao Fundo Municipal de Meio Ambiente, com obrigação de custeio de ações de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here