CPT - Centro de Produções Técnicas

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul deferiu em parte os pedidos do Ministério Público (RS) referente à presença de álcool etílico e formol no leite cru produzido pela empresa Tirol em 2013. No parecer da juíza Eliane Garcia Nogueira é confirmado que amostras do leite cru apresentado em 6 de março de 2013 continham traços de formaldeído, mas que nas subsequentes, de 3/12/2013 e 17/08/2014, não havia presença da substância. Na liminar, a juíza afirma que a empresa deve se abster de comercializar produtos caso não consiga manter os padrões higiênicos-sanitários exigidos pela legislação e assegurar o controle de qualidade de sua matéria prima. Se essa exigência não for cumprida, a empresa receberá uma multa de R$ 500 mil. A medida, segundo Nogueira, tem caráter preventivo para "evitar danos futuros aos consumidores, dada a nocividade do formaldeído e álcool". — Apesar de inexistir nos autos demonstração de que atualmente a demandada vem comercializando ou, ainda, de que mantém a prática ilícita anteriormente detectada, em se tratando de medida necessária à proteção à saúde, (..) além de se tratar de direito básico do consumidor, é imperativo o deferimento da medida pleiteada — diz o documento assinado pela juíza. Porém, Nogueira alerta que apesar das irregularidades, não há prova de que a empresa ainda esteja produzindo e comercializando leite com essas substâncias e, por isso, não existe embasamento para uma indenização de consumidores e bloqueio de bens e dinheiro da Tirol, como havia pedido o Ministério Público. Em nota, a Tirol garante que investe "altas cifras" em análises da matéria prima durante todo o processo de seus produtos, enviando amostras a laboratórios internos e terceirizados para se certificar da qualidade. — Temos orgulho em dizer que a Tirol é uma das raras empresas no país que mantêm um trabalho de acompanhamento técnico no campo, custeado pela própria empresa, com o principal objetivo, a melhoria contínua da qualidade do leite e ações de combate a fraudes — diz a empresa. A Tirol também diz assumir as responsabilidades legais estabelecidas pelo TJ, mas diz não concordar com a decisão tomada pela juíza. Ainda em nota, reafirma que nenhum produto com fraude chegou até os consumidores.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here