CPT - Centro de Produções Técnicas

Pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, mostram que, no pagamento de junho, relativo à produção entregue em maio, produtores de leite tiveram o maior reajuste do ano, de quase 7%. Com o aumento próximo de 5 centavos por litro, a média nacional (considerando-se valores ponderados dos estados de RS, SC, PR, SP, MG, GO e BA) subiu para R$ 0,7086/litro (sem o desconto de 2,3% de CESSR e do frete). Os fundamentos para essa alta, explicam pesquisadores do Cepea, são os mesmos que impulsionaram os preços também no mês passado: menor produção e preços elevados do UHT. De acordo com o Índice de Captação de Leite (ICAP-L) do Cepea, a produção de maio foi 2,44% menor que a de abril e os preços do leite UHT no atacado, também conforme pesquisas do Cepea, seguem em patamar alto, com média próxima a R$ 1,80/litro no atacado paulista. Com a nova queda do ICAP-L/Cepea, o volume captado nos primeiros cinco meses deste ano se torna 6,76% menor que o do mesmo período do ano passado. Contudo, é preciso destacar que a produção do começo (jan-maio) de 2008 havia sido 24,25% superior à do mesmo de período de 2007, impulsionada por condições bastante positivas de demanda e custos de produção relativamente favoráveis. Caso se compare o volume de janeiro a maio de 2009 com o de igual período de 2007, há um crescimento de 15,85%, sendo que, naquele ano, havia ocorrido crescimento de 3,15% em relação a 2006 e de 3,64% deste em relação a 2005. Ao analisar esse e outros indicadores, alguns agentes do setor estimam que a produção total de leite neste ano ficará próxima da verificada em 2008. Consultados pela equipe Cepea sobre as expectativas para os meses que se seguem, representantes de laticínios/cooperativas acreditam que a produção de leite apresente uma reversão, ou seja, passe a aumentar, no curto prazo, tendo em vista que produtores das regiões Sudeste e Centro-Oeste começam a alimentar o rebanho com silagem de milho ou cana picada. Além disso, a safra da região Sul, que atrasou devido à seca, está iniciando. Apesar dessa estimativa de reação da oferta, para o próximo pagamento, 88% dos compradores – que representam 95% do leite da amostra do Cepea – apostam na continuidade dos aumentos dos preços em função do comportamento dos preços do leite UHT no atacado e varejo. JUNHO – Entre os sete estados considerados para a média nacional, o maior aumento, de 13,65%, ocorreu em Santa Catarina, com o preço médio do litro ao produtor sendo reajustado em 8,8 centavos. Já a menor elevação, pelo segundo mês consecutivo, foi vista na Bahia, com 1,88 centavo por litro de leite a mais. Minas Gerais ficou com o segundo menor aumento de preços, com 4,63% ou 3 centavos/litro. Com isto o preço médio deste estado, R$ 0,698/litro se tornou menor que o apurado em São Paulo (R$ 0,7378), Santa Catarina (R$ 0,7353), Paraná (R$ 0,7230) e Goiás (R$ 0,7055), superando, portanto, apenas as médias do Rio Grande do Sul (R$ 0,6915) e da Bahia (R$ 0,6213).   Fonte: Cepea/Esalq/USP, adaptado pela Equipe Milknet 23/07/2009

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here