CPT - Centro de Produções Técnicas

Após quatro meses em alta, o preço médio do leite pago aos produtores em junho voltou a recuar. De acordo com pesquisas do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, a “média nacional”, que considera os estados de RS, PR, SC, SP, MG, GO e BA, foi de R$ 0,7718/litro (preço bruto) em junho, redução de 3,3% ou 2,7 centavos por litro frente ao mês anterior. Analisando as médias exclusivamente dos meses de junho, a atual ainda é a maior da série do Cepea (nominal) – iniciada em 1994. Em relação a junho de 2009, a alta ainda é de 8,9%. A queda de preços em pleno período de entressafra é atípica. Desde 1997, é a primeira vez que há redução de preços de maio para junho. De acordo com agentes do setor, entre os fundamentos para esse comportamento estão os estoques relativamente altos de leite UHT, as elevadas importações de lácteos, principalmente do Uruguai e da Argentina, e o fraco desempenho das exportações. Além disso, a captação de leite no Sul do País já mostra sinais de aumento, em função da produção de forrageiras de inverno (aveia e azevém) neste período do ano. Nas transações externas, segundo dados da Secex, no acumulado de janeiro a maio, houve diminuição de 30% do volume embarcado comparativamente a igual período de 2009; frente à parcial de 2008, exportou-se menos da metade, com as 21,8 mil toneladas de 2010 representando apenas 44% do acumulado no início daquele ano. Quanto às importações, as 41,7 mil toneladas deste ano são 24% menores que o volume de 2009, mas superam em 40% o total de janeiro-maio de 2008 – foram considerados somente os produtos do Capítulo 4 da Nomenclatura Comum do Mercosul. Neste sentido, 83% dos compradores (representantes de laticínios/cooperativas) entrevistados pelo Cepea, que respondem por 94,1% do volume de leite amostrado na pesquisa, acreditam em nova queda de preços para o pagamento de julho. Já 12,3% dos compradores (responsáveis por 3,5% do volume da amostra) acreditam em estabilidade de preços, enquanto 4,6% (que correspondem a 2,3% do volume) apontam para alta de preços em julho. No mercado spot de leite cru (comercialização entre os laticínios), houve redução de 5 a 10 centavos por litro em junho. Essa desvalorização tende também a influenciar os preços pagos aos produtores. O Índice de Captação de Leite do Cepea (ICAP-Leite) registrou queda de 2,47% em maio em relação a abril. Mesmo assim, no acumulado do ano, a captação é 3,8% maior que a do mesmo período de 2009; já na comparação com 2008, há queda de 3,2%. Em maio, a diminuição da oferta ocorreu principalmente em Goiás (-5,7%) e em Minas Gerais (-4,3%). Nos estados do Sul, houve leve redução de 0,9% no Paraná e ligeira alta de 0,5% no Rio Grande do Sul. A expectativa de agentes do setor é que a produção de leite na região aumente nos próximos meses. No mercado atacadista do estado de São Paulo, o preço médio do leite UHT teve novo recuo em maio, de 6% frente ao mês anterior, a R$ 1,64/litro. O queijo mussarela teve média de R$ 10,29/kg – aumento de 2,7% em relação a abril –, e o queijo prato foi cotado à média de R$ 12,05/kg, alta de 4,9% no período. O leite pasteurizado teve média de R$ 1,30/litro, recuo de 2,4% frente a abril. O leite em pó também registrou queda, de 2,5%, indo para R$ 10,41/kg. JUNHO – Entre os estados pesquisados pelo Cepea, Goiás teve a principal queda na captação e também nos preços pagos ao produtor. De maio para junho, a redução foi de 6,8% ou 5,6 centavos por litro, com a média passando para R$ 0,7659 (valor bruto). Esse comportamento está ligado à queda mais acentuada do preço do leite cru no segmento spot no estado, que tem movimento significativo. Segundo alguns agentes, as cotações prevalecentes em junho representaram também um ajuste à média do estado, que em maio foi a maior. No Rio Grande do Sul, o recuo foi de 6,5% ou 4,7 centavos por litro, cotado a R$ 0,6896, e no Paraná o preço médio foi de R$ 0,7731/litro, queda de 4,2% ou 3,3 centavos/litro em relação a maio. Em Santa Catarina, a queda foi de 1,7% (1,4 centavo por litro) no período, com média de R$ 0,7798/litro. Em São Paulo, o preço médio foi de R$ 0,7899/litro, recuo de 1,5% (ou 1,2 centavo por litro) e na Bahia, houve redução de 0,5%, com média de R$ 0,6926/litro. Em Minas Gerais, os preços se mantiveram praticamente estáveis, com ligeira redução de 0,2% em relação a maio. Assim, a média de R$ 0,8122/litro voltou a ser a maior entre os estados desta pesquisa. Fonte: Cepea/Esalq/USP, adaptado pela Equipe Milknet 30/05/2010

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here