CPT - Centro de Produções Técnicas

Mesmo num cenário de demanda desaquecida no país, até para bens não duráveis, a Itambé Alimentos decidiu antecipar para este ano um investimento que faria em 2017 para ampliar a capacidade de produção de itens sem lactose. O aporte será de R$ 50 milhões na unidade de Pará de Minas (MG), segundo o presidente da Itambé, Alexandre Almeida. Os recursos também serão utilizados em novas linhas de produtos para atender o food service. "O mercado tem dificuldades, mas também tem muitas oportunidades", afirma. Segundo ele, o investimento foi antecipado porque o consumo no segmento sem lactose continua crescendo, ainda que em ritmo menor. Além disso, o executivo observa que a Itambé, empresa, controlada pela Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais (CCPR) e pela Vigor, permanece ganhando terreno nos mercados onde já está e mantém sua estratégia de expansão geográfica. Hoje a empresa já tem um portfólio com 23 itens para o mercado zero lactose. São produtos como leite, iogurte, requeijão, leite condensado e creme de leite. "Temos praticamente todo o portfólio com zero lactose", observa. O último lançamento da Itambé dentro dessa linha foi leite em pó. Em 2014 e em 2015, o laticínio investiu R$ 130 milhões (cerca da metade em cada ano) em novas linhas, no desenvolvimento de produtos e na modernização do parque fabril, com destaque para o aumento de capacidade de produção de iogurtes em Pará de Minas. "O investimento será menor este ano porque a Itambé vem de dois anos de investimentos maiores para recuperar o parque fabril", diz. A companhia também está apostando em outro nicho de mercado, voltado a pessoas "preocupadas com uma dieta balanceada" e "praticantes de atividades físicas de alta performance", diz Almeida. São duas linhas, PRO e PRO+, de produtos com maior teor de proteína, cujo desenvolvimento consumiu mais de R$ 5 milhões. Fazem parte da linha leite longa vida e bebidas lácteas. O presidente da Itambé afirma que a empresa "está cada vez mais presente no varejo", o que explica seu otimismo. No primeiro trimestre deste ano, o número de pontos de venda com produtos Itambé cresceu 10% sobre o mesmo intervalo de 2015, para 21 mil pontos. Segundo ele, a empresa ampliou a presença em Estados do Nordeste e agora trabalha as regiões Norte e Sul do país. A mineira Itambé teve receita líquida de R$ 2,534 bilhões em 2015, alta de 3,3% sobre o ano anterior.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here