CPT - Centro de Produções Técnicas

Nos últimos dois anos Mato Grosso do Sul aumentou em 4,2% a oferta de leite, segundo dados da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), que projeta uma previsão de Valor Bruto da Produção (VBP) para o alimento este ano no estado de R$ 151,7 milhões. Para melhorar o desempenho do setor, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do estado (Senar/MS) está oferecendo o curso “Como produzir leite com qualidade”. A capacitação será realizada nos dias 14 e 15 de abril, em Rio Brilhante, a 150 quilômetros de Campo Grande. O técnico em agropecuária e instrutor do curso, Eurípedes Alves Junior, reforça que para manter o avanço é necessário que o produtor e o trabalhador rural saibam da importância em garantir qualidade no produto, para proporcionar o consumo seguro e maior rendimento do setor. A produção de leite com qualidade estimula a exportação, pois atende as exigências do mercado mundial. Ele comenta que ao investir na qualidade, o produtor também atende a Instrução Normativa nº 62 do Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, de 2011, que regulamenta a produção, identidade, qualidade, coleta e transporte do leite tipo A, leite cru refrigerado e leite pasteurizado. Para isso os produtores e trabalhadores rurais devem adotar práticas e cuidados fundamentais durante o processo de produção. Alves Júnior destaque ainda que se atender a normativa, a produção de leite no estado vai permitir maior comercialização no mercado brasileiro e mundial. A padronização de um produto de qualidade é também uma alternativa para incentivar o crescimento dessa atividade pecuária no Estado. Para atingir esse objetivo são necessários alguns cuidados básicos com a higiene do animal, do ordenhador e das instalações. O instrutor ressalta a importância desse processo. “Os vaqueiros devem desinfetar as tetas do animal, realizar testes de mastite e lavar as mãos antes da ordenha. O local de trabalho necessita estar sempre limpo, assim como, os equipamentos e utensílios utilizados”. Alves Junior ressalta também que é importante a conservação do leite ordenhado em baixas temperaturas. A refrigeração deve ser feita em tanques próprios, por expansão direta ou de imersão do latão em água gelada. O transporte do alimento deve ser realizado por caminhões isotérmicos, assim é possível garantir um produto seguro e de qualidade ao consumidor. Além disso, essas ações favorecem a permanência e o desenvolvimento do trabalho do produtor na propriedade rural. De acordo com o especialista, a aplicação dessas práticas e manejo adequado pode render um aumento de 20% a 25% na produtividade do animal. “O produtor é valorizado quando o seu leite apresenta qualidade e atende as exigências dos laticínios. Com um produto diferenciado é possível atingir mercados internacionais e consequentemente aumentar o lucro”, conclui. <b>O curso</b> O curso de como produzir leite com qualidade é dividido em duas etapas, teórica e prática, com duração de 16 horas. Apresenta abordagens sobre noções adequadas de higiene na ordenha manual e mecânica, controle de qualidade e manejo correto do leite e do animal, além de instruir a normativa nº 62, de qualidade, do Mapa.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here