CPT - Centro de Produções Técnicas

No dia 1º de julho, novas regras para cumprimento da Instrução Normativa (IN) 62, de 2011, passaram a valer para a produção do leite nas regiões brasileiras do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A quantidade máxima de Contagem de Células Somáticas (CCS) presente no leite deve baixar de 600 mil/mililitro para 500 mil/mililitro e a Contagem Bacteriana Total (CBT) de 600 mil unidades formadoras de colônia (UFC/ml) para 300 mil/ml. Em Mato Grosso, a produção anual de leite é de aproximadamente 780 milhões de litros, conforme dados da Associação dos Produtores de Leite de Mato Grosso (Aproleite). Nos estados do Norte e Nordeste do país, as novas regras serão exigidas a partir do ano que vem. A Instrução Normativa 62, entrará em vigor em 2016, limitando em 100 mil UFC/ml para CBT e 400 mil CCS/ml. A Contagem Bacteriana Total (CBT), mensura o grau de higiene durante a ordenha, e a Contagem de Células Somáticas (CCS) traduz a contaminação por microorganismos no conjunto mamário do animal. O Pesquisador da Embrapa Gado de Leite, o médico veterinário Guilherme Nunes de Souza diz que as reduções cada vez mais frequentes objetivam garantir a qualidade do leite como também a saúde do animal, diminuindo, por exemplo, o risco de problemas como a mastite – lesão na glândula mamária provocada por bactéria. Segundo o diretor executivo da Aproleite, Carlos Augusto Zanata, mesmo com uma produção significativa, os produtores ainda encontram empecilhos para acessar recursos para realizar todas as mudanças necessárias. “Essa dificuldade está presente principalmente em bovinocultores de leite que têm pequenas propriedades em assentamentos, já que não possuem acesso ao documento de regularização fundiária, exigida pelos bancos para financiamentos”, informa. Mas ressalta que uma das ações feitas pela Aproleite para melhorar o acesso dos bovinocultores de leite a informações para melhorar a qualidade do leite é realizada em parceria com os Sindicatos Rurais do estado, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). A instituição de ensino rural tem o Programa Leite de Qualidade, que ensina boas práticas na ordenha aos produtores para que o nível de CBT e CCS presentes no leite diminua. Em 2013 e 2014, foram qualificados 216 bovinocultores de leite no estado por meio do programa. “O grande diferencial desse curso é que ele conta ainda com uma consultoria. Um instrutor vai até a propriedade para orientar o produtor sobre o que pode ser mudado para garantir a melhoria da qualidade do leite”, ressalta o diretor executivo.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here