CPT - Centro de Produções Técnicas

Se quiser ficar livre daqueles pneuzinhos de uma vez por todas, tente adicionar produtos lácteos à sua dieta. Um estudo recente indicou que o consumo de dieta contendo de 1000 a 1400mg por dia de cálcio proveniente de alimentos lácteos, mudam a maneira que o organismo queima a gordura. Para falar a verdade, aumenta o metabolismo lipídico. Assim não somente se deve beber leite desnatado para ajudar a queimar gorduras melhor e provocar a perda de peso, como também ajuda a aparar centímetros da sua cintura. O apelido do leite é “o alimento mais perfeito da natureza”. Embora a afirmação seja quase totalmente verdadeira, o leite sem gorduras certamente chega perto dela com seu alto valor protéico, contagem excepcional em cálcio e a disponibilidade das vitaminas do complexo B. Tudo isso por somente 86 kcal em um copo de 240ml. De fato, a simples troca de leite integral para leite desnatado pode ser uma das escolhas mais efetivas que se pode fazer para reduzir a gordura saturada e as calorias da dieta. Embora o leite seja apontado com frequência como altamente alergênico, somente uma pequena fração da população é verdadeiramente alérgica ao leite. O estresse gastrintestinal após a ingestão de leite pode ser resultante da intolerância à lactose, um problema bem mais comum. Uma grande porcentagem da população mundial sofre de intolerância à lactose, a inabilidade em digerir a lactose, o açúcar natural do leite. Contudo, as pesquisas indicam que os sintomas gastrintestinais são frequentemente atribuídos incorretamente a esta condição. Mesmo aqueles no estudo que provaram ser intolerantes à lactose, estiveram aptos a desfrutar no mínimo de 1 xícara de leite por dia sem experimentar o estresse digestivo. Mecanismos do cálcio lácteo na perda do peso As dietas ricas em cálcio atenuam o acúmulo de gordura corporal e ganho de peso durante períodos de super-consumo de dietas energeticamente densas e aumentam a quebra das gorduras e preservam o metabolismo durante a restrição calórica, acelerando marcadamente portanto a perda de peso e da gordura. Este efeito é mediado primariamente pelo calcitriol circulante, que regula o adipócito intracelular Ca2+. Os estudos do metabolismo dos adipócitos humanos demonstram papel chave no Ca2+ intracelular, resultando na estimulação da expressão dos genes lipogênicos e lipogênese e supressão da lipólise, resultando em preenchimento lipídico adipócito e aumento da adiposidade. Além do mais, o aumento da produção do calcitriol em resposta às dietas pobres em cálcio estimulam o influxo do adipócito Ca2+ e consequentemente, promovem a adiposidade, ao passo que dietas ricas em cálcio inibem a lipogênese, promovem a lipólise, a oxidação lipídica e a termogênese e inibem a obesidade induzida pela dieta em ratos. Notavelmente, as fontes lácteas de cálcio exercem efeitos maiores acentuadamente na atenuação do ganho de peso e gorduras e aceleram a perda de gorduras. Este efeito aumentado dos produtos lácteos contra os suplementos em cálcio foi localizado, em parte pela fração soro do leite dos laticínios e é devido aos compostos bioativos adicionais, tais como inibidores da enzima convertora à angiotensina (ACE) nos produtos lácteos, assim como à alta concentração dos aminoácidos de cadeia ramificada, que agem sinergisticamente com o cálcio para atenuar a adiposidade. Contudo, estes compostos não contam integralmente pelos efeitos observados, pois o soro do leite têm bioatividade significativamente maior que os encontrados nestes compostos. Estes conceitos foram confirmados por dados epidemiológicos assim como em experimentos clínicos recentes, que demonstraram que dietas inclusivas de no mínimo 3 porções de produtos lácteos resultam em reduções significativas na massa gorda corporal em obesos na ausência de restrição calórica e aceleram acentuadamente a perda de peso e de gorduras, secundária à restrição calórica em comparação com dietas pobres em laticínios. Estes dados indicam o papel importante nos produtos lácteos tanto na capacidade de manter peso saudável e na gestão do sobrepeso e obesidade. Benefícios em saúde A vantagem do leite desnatado sobre o leite integral não pode ser suficientemente avaliada. As gorduras do leite integral são constituídas em grande parte por gordura animal saturada, que provoca o aumento do colesterol. E quando se compara a porcentagem de calorias das gorduras de cada porção, o leite integral responde por 50%, ao passo que o leite desnatado somente 4%. Assim pode-se avaliar que a troca vale a pena. E se for feita gradualmente, é aconselhável trocar primeiramente para leite com 2%, depois 1% e então desnatado 0%, e a transição será menos penosa. A troca para leite desnatado não compromete a quantidade em nutrientes da porção. Apesar de tudo, obtém-se até mais. A gordura ocupa espaço, deixando menos espaço para os nutrientes, assim quando o teor lipídico diminui, há mais espaço para os nutrientes. O leite desnatado é excelente fonte de cálcio, exercendo papel importante na prevenção da osteoporose. E o cálcio no leite pode ser melhor absorvido que o cálcio encontrado em suplementos, por conta da lactose, que é encontrada também no leite, mas não em suplementos, e parece ajudar sua absorção. Os guias dietéticos recomendam a crianças de 9 anos e acima a consumirem o equivalente a 3 xícaras de leite por dia. Em parte por conta dos vários estudos indicativos de que as dietas ricas em frutas e hortaliças mais 3 xícaras de leite ou iogurte por dia, aumentam a perda de peso da população e ajudam a manejar melhor o peso. Um estudo indicou que os produtos lácteos ricos em cálcio ajudaram pessoas a perder mais peso da região abdominal (área do estômago) que os consumidores de suplementos de cálcio ou consumidores de dietas com baixo teor em cálcio. Assim, mantenha em mente que o cálcio dos laticínios é também uma promessa na proteção do câncer de cólon e ao mesmo tempo ajuda a normalizar a pressão sanguínea e exerce papel importante na cicatrização, condução dos nervos, e contração muscular. Na maioria das vezes o leite é fortificado com vitaminas A e D e é a maior fonte dietética de ambas. É também um dos maiores contribuidores de riboflavina, uma das vitaminas B envoltas na quebra dos alimentos. É também boa fonte de vitamina B12. Juntas, estas vitaminas do complexo B exercem papel significativo na saúde cardiovascular. Seleção e armazenamento Todos os tipos de leite têm uma data de validade estampada na sua embalagem. O leite em embalagens de vidro transparente é suscetível para consideráveis perdas de riboflavina e vitamina A, muito mais que no leite em sacos plásticos ou embalagens cartonadas. Isto acontece por causa da luz, mesmo a luz fluorescente dos supermercados destrói estes 2 nutrientes sensíveis à luz. Esta mesma luz afeta também o sabor do leite. De qualquer forma, não compre leite cru ou produtos fabricados com leite cru, mesmo os queijos. O leite cru não foi pasteurizado e pode carregar bactérias e fazer a pessoa adoecer. É especialmente perigoso para crianças, idosos e pessoas com sistema imune prejudicado. Dicas de preparo e serviço O leite tem melhor sabor quando é servido bem gelado. Há algumas receitas que não funcionam bem com leite desnatado, mas a maioria funciona bem. Quando aquecer o leite, não permita que ferva. Este procedimento provoca a formação de um filme na superfície que não se dissolve. Para aumentar a quantidade de cálcio lácteo nos seus alimentos, mantenha uma lata de leite em pó desnatado instantâneo à mão. A maioria das pessoas não gosta de tomar leite em pó como leite puro, mas se torna uma boa adição aos drinques de liquidificador, sopas e ensopados, incremento de baixa caloria e proteína aos pratos favoritos. Assim não chore pelo leite derramado quando não for do tipo desnatado. Bebe-lo como parte de uma dieta saudável traz todos os tipos de benefícios em saúde. Referências bibliográficas: • Zemel, Michael. The role of dairy foods in weight management. University of Tennessee, Knoxville. Journal of American College of Nutrition, vol 24, no 6. • Lanou, AJ e Barnard ND. Dairy and weight loss hypothesis: an evaluation of the clinical trials. Nutrition Reviews. Vol 66, 2008. • www.kraft.com.au. Discovering the role of dairy in healthy weight. • www.weighwatchers.com. Dairy foods and weight management. • Davis JL. Dairy products boost metabolism and aid weight loss. WebMD Weight Loss Clinic • Robert Heaney, MD, bone biology and calcium nutrition expert with Creighton University in Nebraska. Michael Zemel, PhD, director of The Nutrition Institute at the University of Tennessee at Knoxville. 2004. • USDA. Agricultural Research Service. Wood, M. Weight loss study focuses on dairy foods. 2007. * Licinia de Campos Graduada em Nutrição (Universidade São Judas Tadeu) com formação autodidata em Gastronomia; pós-graduada em Gestão de Negócios de Serviços de Alimentação (SENAC); curso de especialização em Docência e Didática para Ensino Superior em Turismo e Hotelaria (SENAC); curso de Auditor Líder ISO 22000 (Food Design); ex-redatora do Suplemento Feminino do jornal “O Estado de SP”; Seminário de Antropologia Alimentar : “Alimentation et hiérarchies sociales et culturelles” pelo IEHCA em Tours, França; participante do programa “Com Sabor” da Rede Mulher por 3 anos; tradutora de diversos fascículos e livros para a Editora Globo; consultora gastronômica- nutricional do site SIC (Serviço de Informação da Carne); palestrante especializada em Gastronomia e Nutrição; redatora da revista NutriNews ; docente em vários cursos das unidades SENAC ; Consultora e Assessora Especializada em Gestão Operacional Administrativa de Unidades Alimentares. .  Fonte: lactea Brasil.  adaptado pela Equipe Milknet.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here