CPT - Centro de Produções Técnicas

O índice de preços dos alimentos medido pela agência da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) caiu pelo sexto mês consecutivo e atingiu o menor patamar desde agosto de 2010, ao registrar 191,5 pontos em setembro. Na comparação com agosto último, significa uma retração de 5,2 pontos (2,6%) e em relação ao mesmo mês de 2013, de 12,2 pontos (6%). A redução nos preços em setembro da cesta de alimentos globais acompanhada pela FAO marca o período mais longo de retração desde o final da década de 1990. De todos os subíndices acompanhados, as maiores quedas foram registradas nos lácteos e açúcares, seguidos por cereais e óleos. De outro lado, os preços das carnes mantiveram-se firmes. O índice de preços para açúcar ficou em 228,3 pontos em setembro, com variação negativa de 16,1 pontos (6,6%) ante agosto e 18,2 pontos (7,4%) menos que no mesmo mês de 2013. “Nos últimos meses, as perspectivas de grande oferta mundial e de estoques também firmes continuaram a pressionar os preços do açúcar até o nível mais baixo desde janeiro”, diz a FAO em comunicado. O índice específico do segmento de lácteos caiu 13 pontos em setembro versus agosto (6,5%) e 62,4 pontos (24,9%) na comparação anual. A queda constante dos preços reflete a abundante oferta para exportação, especialmente na Oceania. Além disso, a diminuição da produção de queijo na União Europeia (UE) para a venda na Rússia levou ao aumento da produção de manteiga e leite em pó desnatado no continente. Em outras partes do mundo, a queda dos preços para o leite desnatado tem estimulado a produção de leite em pó integral. O índice para cereais caiu pelo quinto mês consecutivo em setembro e atingiu 177,9 pontos. O número representa um recuou 4,6 pontos ante agosto (2,5%) e 17,1 pontos (8,8%) na comparação com setembro do ano passado. “Grande expectativa de produção global e de oferta para exportação são os principais fatores por trás da queda dos preços do trigo e do milho. Mesmo os preços do arroz, que haviam subido constantemente nos últimos meses, caíram em setembro como resultado do aumento da concorrência entre os países exportadores”, diz o comunicado. O índice de preços para óleos vegetais atingiu o menor valor desde outubro de 2009, ao registrar 162 pontos em setembro, com queda de 4,6 pontos (2,8%) ante julho e de 22,3 pontos (12%) na comparação com o mesmo mês do ano passado. O indicador para carnes ficou em 207,8 pontos em setembro, com alta de 0,3 pontos sobre agosto e 21,7 pontos (11,6%) ante setembro do ano passado. “No geral, os preços estão em níveis recorde e o fato de eles não aumentarem em setembro pode ser uma indicação de que atingiram o pico”, diz a FAO.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here