CPT - Centro de Produções Técnicas

A dieta do leite nem é tão nova assim, mas como todas as dietas da moda, ela está de volta! Lançada em 2000 quando o pesquisador Michael Zemel, chefe de departamento e diretor de Nutrição do Instituto de Nutrição da Universidade do Tennessee, EUA, comprovou que pessoas submetidas a dietas de restrição de calorias, mas que ingerem grandes quantidades de leite e laticínios, perdem em média 69% a mais de gordura corporal do que aquelas que não consomem. Qual a explicação científica para isso? Segundo dados da pesquisa, o culpado de tudo é o cálcio, aquele que faz um bem danado para os nossos ossos e dentes, lembra? Pois é, descobriu-se que uma dieta com muitos laticínios, conseqüentemente rica em cálcio, faz com que as células do nosso organismo armazenem menos gordura, além de aumentar a atividade daquelas que queimam as gordurinhas. Isso porque uma boa quantidade de cálcio no sangue é um sinal que avisa às nossas células para deixarem de armazenar e começarem a queimar. “Isso não significa que as pessoas podem comer tudo que quiserem e pensar que nada vai acontecer só porque está tomando alguns copos de leite. Mas acho que cortar calorias sem incluir laticínios na dieta é um erro”, afirma o pesquisador. Você deve estar pensando: já que o cálcio é o grande segredo da dieta, porque não comprar pílulas de cálcio, que não têm calorias? A nutricionista Luciana Coppini defende o leite. “Os laticínios são também ricos em fósforo e vitaminas D e A e têm proteínas de alto valor biológico. São importantes para o crescimento e desenvolvimento de crianças e para a formação e manutenção dos nossos ossos por toda a nossa vida, por isso a troca nem sempre é vantajosa”, afirma. Como em toda dieta da moda, que surgem prometendo eliminar milagrosamente os quilinhos a mais que atormentam 9 em cada 10 mulheres, é bom tomar alguns cuidados. “Estas dietas podem até promover uma perda de peso rápida, no entanto, não sabemos os resultados em longo prazo porque são muito restritivas e, às vezes, eliminam fontes de nutrientes importantes para o organismo”, afirma Luciana. O ideal é fazer um cardápio balanceado, com frutas, legumes, verduras e saladas, cereais integrais, fontes de proteínas e incluir três ou quatro porções de laticínios. Evite cream cheese e creme de leite, que apesar de serem da mesma família, são grandes fontes de gordura e pobres em cálcio. Dê preferência aos laticínios magros como leite e iogurtes desnatados, além de queijos e requeijões nas versões light. Inclua em sua dieta: Leite desnatado Queijo magro Requeijão light Iogurtes desnatados Evite: Cream cheese Creme de leite Sorvete Você sabia que que o já conhecido leite de soja, apesar do nome, não pertence ao grupo do leite e seus derivados e nem possui os mesmos componentes nutricionais. Nele são encontrados vitaminas, minerais e proteínas de origem vegetal. Só por isso, já valeria a pena consumir, mas para melhorar ainda mais, o leite de soja possui propriedades antioxidantes (isoflavonas)! Mas, atenção, não substitua o leite por ele. O ideal é consumir os dois. Fonte: Cristiana Arcangeli

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here