CPT - Centro de Produções Técnicas

A importação de leite em pó do Uruguai para o Rio Grande do Sul chegou a níveis alarmantes. Em outubro, foram 8,6 mil toneladas – o maior volume do ano. A Argentina, com quem o Brasil mantém limite de importação de 3,6 mil toneladas/mês, enviou para o Estado em outubro 4,85 mil toneladas, ultrapassando a cota em 35%. "Convertido em leite fluido, o total de leite em pó importado de janeiro a outubro de 2015 do Uruguai corresponde a dois dias de produção leiteira no Estado, tornando ainda mais aguda a crise que se instala, principalmente para os produtores, nesta época do ano, que é de safra", alerta o presidente do Instituto Gaúcho do Leite (IGL), Gilberto Piccinini. Ainda nesta semana, representantes do IGL estiveram com o deputado federal Alceu Moreira, presidente da Subcomissão Permanente da Política Agrícola da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados, que orientou que a questão fosse levada de forma urgente ao presidente da Câmara Nacional Setorial do Leite do Mapa, Rodrigo Alvim. De acordo com o diretor executivo do IGL, Ardêmio Heineck, no início da próxima semana será enviado um ofício para Alvim. "O assunto já foi tratado em reunião especial de lideranças nacionais do setor no Congresso Internacional do Leite, que ocorreu em Porto Alegre, em julho. Levado a Ministra Kátia Abreu, comprometeu-se em gerenciar a manutenção das compras uruguaias nos níveis médios dos últimos quatro anos, o que não se confirmou."

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here