CPT - Centro de Produções Técnicas

Cerca de 150 funcionários da empresa Lactalis, um dos maiores grupos de lácteos do mundo, em Barra Mansa, estão em greve. De acordo com os trabalhadores, o grupo francês não está cumprindo os acordos trabalhistas. “Não nos deram reajuste salarial. Nosso FGTS não é depositado há nove meses”, denunciou um funcionário durante manifestação na manhã de ontem na porta da fábrica – antiga Bom Gosto. A greve foi deflagrada no início da noite de domingo (1º) e tem 100% de adesão. Acompanhando a paralisação, o vice presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Alimentos de Barra Mansa Volta Redonda e Resende, Laurimar Campos de Almeida, frisou que a greve é para que cumpra o acordo coletivo de 2014 – de julho a dezembro. No entanto, segundo informou Laurimar, a empresa alega que comprou a fábrica em 8 de janeiro e que o compromisso só é válido a partir da data do negócio. “Os responsáveis pela empresa nos enviaram um documento argumentando que só foi comprado o ativo (maquinário, prédio) e não o passivo (trabalhadores e assuntos trabalhistas). Eles disseram que a categoria deverá reivindicar seus direitos na justiça”, contou o sindicalista informando ainda que a Lactalis avisou que os salários serão ‘congelados’ em 2015. O jornal A VOZ DA CIDADE tentou contato com a diretoria da Lactalis, mas não obteve êxito. <b>LBR- Lácteos Brasil</b> A Lactalis comprou, no ano passado, por R$ 250 milhões, os ativos da LBR – Lácteos Brasil. A decisão foi aprovada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e publicada em 29 de setembro no Diário Oficial da União. Com a compra, a Lactalis adquiriu as unidades de Fazenda Vila Nova, Barra Mansa (inclui a marca DaMatta), Boa Nata (inclui a marca Boa Nata), e os ativos da Poços de Caldas pertencentes à LBR dentro do processo de recuperação judicial da companhia brasileira de lácteos. O grupo francês, que controla a italiana Parmalat, colocou como condição para o negócio com a LBR a rescisão de todos os contratos de uso de marca da Parmalat pela empresa brasileira. A LBR tinha licença de uso da marca até 2017 no país. Além da Lactalis, também compraram ativos da LBR dentro do processo de recuperação judicial a ARC Medical Logística, a Colorado, a Laticinios Bela Vista, a Cooperativa do Vale do Rio Doce e a Agricoop. No total, a LBR colocou à venda 14 unidades produtivas isoladas, para reduzir seu patrimônio e facilitar a negociação de sua dívida. <b>Os números da companhia</b> A Lactalis é um dos maiores grupos de lácteos no mundo, ao lado das também multinacionais Nestlé e Danone, com faturamento de 16 bilhões de euros (R$ 47,5 bilhões) registrados no ano passado. O grupo francês soma mais de 60 mil empregados em 70 países, administrando 200 fábricas espalhadas pelo mundo. Entre os derivados do leite, os queijos são o principal negócio da empresa atualmente, respondendo por 34% do volume total de vendas. Uma das maiores aquisições feitas pela companhia foi a da italiana Parmalat, em 2011. No Brasil, a marca já era utilizada pela LBR e agora está nas mãos do grupo francês.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here