CPT - Centro de Produções Técnicas

A primeira etapa, que receberá um aporte de R$ 450 milhões, terá as obras iniciadas no último trimestre deste ano, com capacidade para 7.000 cabeças por dia. A unidade ficará no município de Assis Chateaubriand, no oeste do Paraná, a 575 quilômetros de Curitiba. "Nosso frigorífico processa hoje 6.500 cabeças por dia e está com a capacidade 100% ocupada", diz o diretor-executivo, Elias José Zydek. Do total a ser aplicado no projeto, 30% serão de recursos próprios e o restante virá de financiamento do BNDES. As obras deverão ser concluídas em cerca de três anos. A cooperativa já tem planos para uma segunda etapa na sequência, que consumiria mais R$ 300 milhões e dobraria a capacidade do local. O aporte, no entanto, dependerá da evolução do mercado e do cenário econômico. No ano passado, apesar das dificuldades do varejo, a Frimesa conseguiu ampliar o faturamento em 20%, na comparação com 2013. A meta era faturar R$ 1,85 bilhão em 2014, mas o valor chegou a R$ 2 bilhões. "As nossas vendas no segmento de carnes se mantiveram em um bom nível", diz Zydek. "Os lácteos vieram bem até setembro, mas, no último trimestre, a produção foi maior que o consumo, o que fez os preços caírem." A Frimesa industrializa a matéria-prima de produtores das cooperativas Copagril, Lar, C.Vale, Copacol e Primato. O grupo tem hoje cinco unidades fabris: uma de suínos e quatro de laticínios. A região Sul lidera as vendas (65%), seguida pelo Centro-Oeste (25%).

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here