CPT - Centro de Produções Técnicas

A indústria de alimentos congelados Forno de Minas, com sede em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), pediu registro de companhia aberta à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Segundo especialistas, embora o pedido não necessariamente indique a intenção pela oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), significa que a empresa trabalha para fortalecer sua estrutura corporativa e foca no desempenho a longo prazo. Ainda não existe um pedido registrado da empresa para emitir valores mobiliários no mercado (ações). Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Forno de Minas disse apenas que a companhia não pode se pronunciar porque está em período de silêncio. Fundada na década de 1990, a Forno de Minas completou 25 anos no último mês. A empresa familiar foi pioneira na produção de pão de queijo congelado. Durante nove anos a empresa cresceu bastante, tanto que em 1999 surgiu a oportunidade de vender a marca para uma gigante internacional: a multinacional Pillburry, que em seguida foi comprada pela General Mills. A empresa ficou sob o comando da multinacional por dez anos e, em 2009 a família recomprou o negócio. Desde então, a empresa vem adotando uma série de ações agressivas como forma de retomar e ampliar cada vez mais seu mercado. Prova disso é que em 2010 vendeu 30% de seu capital o fundo de private equity Mercatto Alimentos. Desta forma, a empresa se transformou em sociedade anônima (S/A) de capital fechado e, em 2013, a Bozano Investimentos comprou a Mercatto e se tornou sócia da Forno de Minas. <b>Expansão</b> Como resultado da estratégia de ações, há dois anos consecutivos a empresa registra avanço nos negócios em cerca de 30% frente ao exercício anterior, crescimento que deverá se repetir neste exercício. Os investimentos também deverão aumentar. Conforme já publicado, em 2014 foram aportados cerca de R$ 16 milhões na automação dos processos industriais, na capacitação dos funcionários e no lançamento de produtos. Neste ano, um montante da mesma ordem deverá ser aportado em ações semelhantes. Além disso, R$ 30 milhões serão destinados à construção de uma nova fábrica, desta vez voltada para a produção de queijos em parceria com a Itambé Alimentos S/A. Atualmente a marca conta com 90 produtos diferentes, dos quais 25 estão disponíveis para o varejo, enquanto o restante é direcionado à área de food service. Somente em relação ao pão de queijo, seu carro-chefe, a empresa detém 50% de market share em todo o País. Por isso, investiu recentemente na ampliação da capacidade produtiva de sua fábrica em Contagem. A linha de produção de pães de queijo dobrou e hoje são fabricadas cinco toneladas por dia. Considerando todos os itens, a produção chega a 11 toneladas por hora. A Forno de Minas tem 820 funcionários, que trabalham em três turnos.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here