CPT - Centro de Produções Técnicas

O 1° tesoureiro da Fetag, Nestor Bonfanti, esteve representando a Contag na 3ª Conferência Internacional da Divisão de Lácteos durante os dias 18, 19 e 20 na cidade de Sunchales, província de Santa Fé (capital nacional do cooperativismo), na Argentina. Promovido pela UITA, o evento teve a participação de 25 países dos cinco continentes para debater temas importantes relacionados ao setor de leite no mundo, como os desafios do setor e Acordos Internacionais Transatlântico e Pacífico. A conjuntura indica que os agricultores familiares que produzem lácteos estarão cada vez mais excluídos, com as suas organizações, das negociações de preços e de trabalho. Conforme Bonfanti, o que se percebe também é que a maioria dos países produzem além do consumo e, por isso, as empresas transnacionais exploram cada vez mais este setor, além dos varejistas que, por sua vez, decidem de qual empresa irão expor nas gôndulas dos supermercados. Além disso, começam a colocar produtos de marca própria, fazendo com que os pequenos laticínios sejam fadados ao desaparecimento do mercado. Outro problema levantado, continua Bonfanti, é que as grandes empresas que vão adquirindo plantas nos mais diversos países não têm nenhuma responsabilidade de contribuir para o aumento da produção x diminuição dos custos de produção. “Elas levam as riquezas e deixam a pobreza”, revela. A Espanha, que não produz leite suficiente (um dos poucos países) e, no entanto, importa da Dinamarca e da Alemanha a preços inferiores ao custo de produção local. A Alemanha trabalha com 52% de sua produção para exportação. Bonfanti conta que diante de todos estes problemas, cada vez mais surge o desafio de trabalhar negociações em nível internacional. “As empresas brasileiras são as mesmas que dominam os mercados mundias e não teremos êxito se não lutarmos de forma conjunta com as entidades filiadas, em nosso caso a UITA”, adverte.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here