CPT - Centro de Produções Técnicas

Os embarques dos produtos oriundos da atividade agropecuária foram responsáveis por 33,38% das exportações totais do Estado, no acumulado de janeiro a agosto, com faturamento de US$ 4,9 bilhões. Em igual período anterior, a participação era de 26,16%. O faturamento do setor ficou 5,71% inferior ao alcançado no mesmo período do ano passado, que foi de US$ 5,2 bilhões. Os dados foram computados pela Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com base em relatório divulgado pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). Ao longo dos oito primeiros meses foram destinados ao mercado internacional 5,26 milhões de toneladas de produtos agropecuários, avanço de 9,67% frente as 4,8 milhões de toneladas destinadas em igual intervalo do ano passado. O café manteve a posição de liderança do ranking do Estado entre os principais produtos vendidos para o exterior. As exportações do segmento atingiram entre janeiro e agosto US$ 2,39 bilhões, queda de 3,5%. Em relação ao volume, foram exportados 750 mil toneladas, retração de 8,84%. O grão foi responsável por 48,57% das exportações do agronegócio de Minas. Queda também foi observada nos embarques do complexo carnes. O setor movimentou US$ 533,8 milhões entre janeiro e agosto, queda de 16,21% ante igual período anterior, quando as exportações somavam US$ 637,1 milhões. Em relação ao volume, a retração foi de 1,52%, com o envio de 226,3 mil toneladas ao mercado internacional. Suíno – A retração nos resultados do complexo carnes teve como principal fator a queda substancial observada no desempenho dos suínos, com queda de 67,28% no valor exportado, que atingiu 9,1 mil toneladas, frente às 28 mil toneladas embarcadas em igual período de 2014. A menor demanda fez com que o faturamento encerrasse o período 80,71% inferior, somando US$ 19,3 milhões, frente aos US$ 100 milhões gerados anteriormente. As exportações de carne bovina também ficaram menores no período. O faturamento US$ 256,9 milhões foi 11,51% menor. Já em relação ao volume, a queda foi de 1,63% com o embarque de 63,1 mil toneladas. No complexo carnes, o destaque foi para o embarque de frango. O faturamento ficou 3,8% superior, encerrando o intervalo em US$ 216 milhões. Ao todo foram exportadas 137 mil toneladas, crescimento de 10,30% frente ao ano anterior. Já as exportações do complexo soja somaram US$ 797 milhões, alta de 3,77% quando comparada com os resultados de igual período do ano passado, quando o faturamento chegou a US$ 768 milhões. Ao todo, foram destinados ao mercado externo 1,9 milhão de toneladas, aumento de 35,05%. Os embarques de soja em grão ficaram 4,22% maiores, com receita de US$ 715 milhões. Minas Gerais exportou 35,67% a mais em volume, com 1,8 milhão de toneladas. Avanço também nos resultados do farelo de soja, cuja receita ficou em US$ 74,4 milhões, 22,04% maior. Em volume, a variação positiva alcançou 48,48%, com o embarque de 139,3 mil toneladas de farelo. Os embarques de óleo de soja recuaram 64,52% em faturamento, somando US$ 7,4 milhões, e queda de 54,79% em volume, 10,6 mil toneladas. Os embarques de produtos lácteos encerraram os oito primeiros meses com alta de 28,07% em faturamento, US$ 103 milhões, e de 25,32% em volume, que somou 20,5 mil toneladas.

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here