CPT - Centro de Produções Técnicas

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC) reivindica ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) a instalação de um núcleo de pesquisas voltadas ao gado leiteiro, com ênfase para forrageiras. Em documento encaminhado à ministra Kátia Abreu, da Agricultura e Pecuária, o presidente da FAESC José Zeferino Pedrozo expôs que Santa Catarina se destaca no incremento da produção de leite. Nas pequenas unidades de produção a atividade proporciona importante renda para as famílias menores. A atividade exibe notável desenvolvimento técnico da produção, especialmente da genética e sanidade. Quinto produtor nacional, o Estado gera 2,8 bilhões de litros/ano. Praticamente, todos os estabelecimentos agropecuários produzem leite, o que gera renda mensal às famílias rurais e contribui para o controle do êxodo rural. O oeste catarinense responde por 73,8% da produção. Os 80.000 produtores de leite (dos quais, 60.000 são produtores comerciais) geram 7,4 milhões de litros/dia. O dirigente observa que, para a produção tornar-se mais competitiva, há a necessidade da pesquisa de forrageiras para identificar variedades mais adaptadas à região. “A melhoria da qualidade da alimentação do rebanho proporcionará um salto notável na elevação da qualidade da produção e da renda dos produtores”, prevê. A proposta consiste na instalação de uma unidade da Embrapa no Estado de Santa Catarina para a pesquisa de forrageiras e outras tecnologias voltadas à produção de leite e, também, gado de corte. Os pastos hoje utilizados, via de regra, são de espécies provenientes de regiões distantes e de baixa adaptação ao microclima, resultando em limitado desenvolvimento e baixa eficiência nutricional. Atualmente a Embrapa mantém duas unidades em Santa Catarina. Uma em Concórdia, a Embrapa Suínos e Aves, com pesquisas em suínos e aves e tecnologias correlatas, especialmente de proteção ao meio ambiente. A outra é o Escritório de Negócios de Canoinhas, com pesquisas e produção de batata-semente; mudas de frutíferas; semente básica de cebola e ramas livre de vírus de batata doce. Outras unidades da Embrapa atuam com a validação de trabalhos com hortaliças, frutas e espécies arbóreas nativas, além de plantas medicinais, aromáticas e condimentares. Pedrozo sustenta que o novo núcleo de pesquisa poderá ser criado junto à Embrapa de Concórdia (SC). O foco será a produção e manejo de forragem, o que gerará conhecimentos para a melhoria da alimentação animal, além da possibilidade de agregar valor ao leite pelo sistema de produção a pasto. Atualmente, a Embrapa desenvolve pesquisas voltadas à pecuária de leite em três unidades: a de gado de leite, voltada à soluções para o desenvolvimento sustentável do agronegócio do leite em Juiz de Fora (MG); a unidade Pecuária Sudeste, com ênfase na eficiência e sustentabilidade da produção em São Carlos (SP) e a unidade Pecuária Sul que desenvolve pesquisas em bovinocultura de corte e leite, ovinocultura e forrageiras nos campos sulbrasileiros, compreendidos pelos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná em Bagé (RS).

Banner CHR Hansen 2020

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here